Pular para o conteúdo principal

Jesus, nosso amor Eucarístico



“O grande bispo Fulton Sheen passou por um período de aridez espiritual no qual rezar era uma tarefa difícil. Ele se sentava na capela sem dizer uma única palavra a Jesus. Como o bispo pensava que suas horas santas não eram agradáveis a Jesus, sentia-se muito desanimado.

Então ele se lembrou de algo: seu pequeno cão também não podia falar. Quando o bispo se sentava em sua poltrona para ler o jornal, o seu cão se sentava no chão perto dele, fazendo-lhe companhia. Só pelo fato de estar ao lado dele, o cão era para o bispo um grande consolo e o fazia muito feliz.

Enquanto o bispo pensava nisso, recebeu uma inspiração de Deus: ele era um grande consolo e muito agradável ao Senhor só pelo simples fato de estar lá com Ele no Santíssimo Sacramento, embora, tal como o seu cachorro, não dizia nada a Jesus enquanto estava ao lado dEle.

Eu gosto muito desta história ... porque eu também tenho um cachorro. E como ele é para mim um grande consolo, eu o chamo de "amigo". Outro motivo que me faz gostar muito dessa história é porque algo semelhante aconteceu com um sacerdote amigo meu, quando eu era pároco em São Miguel. Meu amigo estava fazendo sua hora santa em nossa capela de adoração perpétua. O dia estava muito quente e ele se sentia tão cansado pelo calor que não conseguia rezar. Só o fato de permanecer na capela naquele momento já representava um grande esforço. Ele se perguntava se essa hora teria algum valor, quando no mesmo momento chegou um gatinho branco.

Fazia tanto calor que tinha deixado a porta aberta. No começo, meu amigo pensou o quanto odiava os gatos. Em seguida, observou como o gatinho passava por cada um dos bancos até chegar à parte de trás, onde meu amigo estava sentado. O gatinho parou, olhou para o meu amigo, colocou a cabeça sobre o sapato dele, como se fosse seu travesseiro, e dormiu.

Meu amigo se emocionou. O gatinho tinha escolhido descansar a cabeça em seu sapato. Mais tarde, meu amigo ouviu a seguinte inspiração, tão forte como os sinos da igreja no domingo: se ele, que odeia gatos, ficou tão contente com aquele que escolheu estar com ele, quanto mais Jesus ficará contente conosco, que Ele ama infinitamente, quando escolhemos estar com Ele.

Assim como o bispo Sheen, meu amigo nunca mais se desanimou quando sentia que não podia rezar. O simples fato de estar ali, já é uma oração de fé, é acreditar realmente que Jesus está lá. É uma oração de amor porque a pessoa escolhe estar com aquele que ama, com quem se ama verdadeiramente.

Jesus permanece dia e noite no Santíssimo Sacramento por amor a você, porque para Ele, você é a pessoa mais importante do mundo. A única coisa que Ele pede é que você reserve uma hora por dia para Ele.

Fonte: Mons. Pepe. Cartas a um irmão sacerdote. P.51-52.

Postagens mais visitadas deste blog

Reflexão sobre o Evangelho segundo S. Lucas, cap. 14, vs. 25 a 33

Leitura do Evangelho do 23º Domingo do Tempo Comum



No capítulo 14 do Evangelho segundo S. Lucas, vemos Jesus que quer preparar a todos os seus seguidores para o seu Sacrifício na Cruz, bem como para as consequências que implicam da decisão de segui-lo. O Senhor, com imensa decisão, resolve partir para Jerusalém, mesmo sabendo que caminha para a sua própria morte.
No versículo 25, Jesus vê que não está sozinho: grandes multidões o acompanhavam. O texto original em grego enfatiza que aquelas pessoas “caminhavam junto” com Ele. Aquelas pessoas vão com o Senhor, e Ele quer alertá-las, torná-las conscientes de para onde estão indo e em que implicará a decisão de acompanhá-lo. Parando no meio da jornada, Ele se volta para essas pessoas e lhes diz algo como: “Vocês querem ir comigo, mas vocês sabem qual é a realidade de ser meu discípulo?”.
Aquilo que devemos dar a Deus Pai, conforme descreve o capítulo 6 do Livro do Deuteronômio, ficamos sabendo que devemos dar também a Deus Filho: “Amarás o…

Costumes Matrimoniais nos Tempos Bíblicos: Casamento, Levirato, Violações do Casamento, Pessoa solteira e Divórcio"

Nos tempos bíblicos, o primeiro passo no casamento era dado pelo homem ou por sua família (Gênesis 4:19; 6:2; 12:19; 24:67; Êxodo 2:1). Geralmente, as famílias do casal faziam o arranjo do casamento. Assim Hagar, como chefe da família "o casou [Ismael] com uma mulher da terra do Egito" (Gênesis 21:21). Estando Isaque com quarenta anos de idade, era perfeitamente capaz de escolher sua própria esposa (Gênesis 25:20); no entanto, Abraão mandou seu servo a Harã a fim de buscar uma esposa para Isaque (Gênesis 24). Abraão deu ao servo duas ordens estritas: A noiva não podia ser cananeia, e devia deixar o lar paterno para viver com Isaque na Terra Prometida. Em circunstância alguma devia Isaque voltar a Harã para viver de acordo com o antigo modo de vida da família. O servo de Abraão encontrou a orientação do Senhor em sua escolha (Gênesis 24:12-32). Então, segundo o costume da Mesopotâmia, ele fez os arranjos com o irmão e a mãe da moça (Gênesis 24:28-29, 33). Ele selou o acordo …

Moringa, uma planta com imensos benefícios

Se ainda não ouviu falar da moringa, vai, neste artigo ficar a conhecer uma planta com bastantes benefícios para a saúde e o bem-estar do corpo. Moringa (Moringa oleifera) é uma planta de origem tropical ainda pouca conhecida na Europa, embora o seu uso como suplemento dietético comece pouco a pouco a estender-se. Um número cada vez maior de estudos científicos associam a ingestão de moringa em pó com inúmeros benefícios para a saúde, como a melhoria da pressão arterial, da glicose, a redução do colesterol, entre os outros. A árvore da Moringa Oleifera atinge uma altura de 7-12 metros é, originária das zonas próximo do Himalaia (Índia e Paquistão), e muito popular em países tropicais e subtropicais da África, Ásia (Filipinas, Camboja), América do Sul e Central e no Havaí, onde também é cultivada. Moringa – um potencial suplemento dietético A árvore de Moringa vem sendo usada ao longo dos tempos como uma planta medicinal. Sendo por isso conhecida como árvore milagrosa. Todas as partes …