Pular para o conteúdo principal

As crenças são o resultado de onde se nasce?



5-armenian-childrenAs famílias cristãs educam os filhos como cristãos. Famílias muçulmanas têm crianças muçulmanas (ou pelo menos é melhor que sejam, ou terão sérios problemas). Se você nasceu na Índia, então você é um hindu. Se você nasceu nos Estados Unidos você é um cristão, um muçulmano na Arábia, e se está na universidade deve ser um ateu. É assim que funciona, certo? Isso é o que Richard Dawkins sugere. Ele afirma em “Deus, um delírio”:
Se você é religioso, a imensa probabilidade é de que tenha a mesma religião de seus pais. Caso tenha nascido no Arkansas e ache que o cristianismo é a verdade e o islã é a mentira, sabendo muito bem que acharia o contrário se tivesse nascido no Afeganistão, então você é vítima da doutrinação infantil.
As crenças são predominantemente determinadas pela família de origem, localização geográfica e as influências sociais? Ou devemos tomá-las ainda mais longe e adicionar um componente genético como um fator decisivo para os sistemas de crenças que formamos? Como o renomado psicólogo comportamental BF Skinner disse uma vez: “meu comportamento em um dado momento não tem sido nada mais do que o produto da minha herança genética, a minha história pessoal, e a configuração atual”.
Então você tem: localização + família + sociedade + genes = sistema de crenças. Você acha essa fórmula convincente? Não? Ela tem uma falha grave. Ele não leva em conta a capacidade do homem de escolher livremente, articular e assimilar novas informações.
Estou cansado de argumentos neste sentido. Isso é só uma simplista falácia genética. Quando Dawkins faz uma declaração como esta ele supõe que ela se aplica a crenças de todos, menos a sua própria. Ele acredita que a cosmovisão cristã é inválida e ilógica porque passa a ser a mesma que seus pais, ou porque estava isolada a uma determinada região geográfica. O ateu também tem os mesmos fatores em sua vida. A alegação de Dawkins é totalmente narcisista. As “regras” para a formação de uma visão de mundo não se aplicam a ele. Ele se convence de que é capaz de pensar de forma convincente sobre as grandes questões da vida, enquanto as outras pessoas não. Eles simplesmente engolem o que eles são alimentados pelo mundo.
Pode se admitir uma série de fatores que contribuem para a formação do próprio sistema de crenças. No entanto, as crenças de uma pessoa são ajustadas ao longo do tempo à medida que novas ideias e informações se tornam disponíveis. Há momentos onde há reflexões, onde se sente a necessidade de examinar o que se foi ensinado, para ver quais fatos estão em conformidade com a realidade. Alguns param neste aspecto do desenvolvimento e optam por se manter sem pensar no que lhes foi ensinado, mas a grande maioria está disposta a lidar com as difíceis questões.
Eu nasci como filho de um ministro protestante no centro do cinturão da Bíblia nos Estados Unidos. No entanto, no início da adolescência comecei a questionar tudo o que eu tinha sido ensinado. Examinei os sistemas de crenças concorrentes e descobri que o cristianismo oferecia as respostas mais sólidas em responder às grandes questões. Esta época de questionar minhas crenças foi grandemente intensificada na faculdade. Minha experiência é não é diferente de outras pessoas. Vemos pessoas se convertendo de uma religião para outra o tempo todo. Por quê? Porque elas questionaram o que lhes foi ensinado. Devemos também mencionar que vemos ateus e céticos que se tornam teístas. Por quê? Porque eles examinaram novas informações e se ajustaram ao que acreditavam estar em conformidade com os fatos.
As pessoas não são autômatas. Temos a capacidade de escolher, crescer, compreender e aprender. Temos sido dotado com a capacidade de pensar logicamente. Como Deus declara em Isaías 1,18, “Vinde, pois, e resolvamos as questões entre nós”. Ele não quer que engulamos cegamente um monte de ensinamentos e doutrinas. Ele nos convida a nos aprofundar nas muitas questões difíceis diante dEle.
Ande bem. Viva sabiamente. Seja abençoado.
Josh
Fonte: http://joshfults.com/2012/11/28/apologetic-wednesday-are-beliefs-the-result-of-where-one-is-born/
Tradução: Emerson de Oliveira

Postagens mais visitadas deste blog

Reflexão sobre o Evangelho segundo S. Lucas, cap. 14, vs. 25 a 33

Leitura do Evangelho do 23º Domingo do Tempo Comum



No capítulo 14 do Evangelho segundo S. Lucas, vemos Jesus que quer preparar a todos os seus seguidores para o seu Sacrifício na Cruz, bem como para as consequências que implicam da decisão de segui-lo. O Senhor, com imensa decisão, resolve partir para Jerusalém, mesmo sabendo que caminha para a sua própria morte.
No versículo 25, Jesus vê que não está sozinho: grandes multidões o acompanhavam. O texto original em grego enfatiza que aquelas pessoas “caminhavam junto” com Ele. Aquelas pessoas vão com o Senhor, e Ele quer alertá-las, torná-las conscientes de para onde estão indo e em que implicará a decisão de acompanhá-lo. Parando no meio da jornada, Ele se volta para essas pessoas e lhes diz algo como: “Vocês querem ir comigo, mas vocês sabem qual é a realidade de ser meu discípulo?”.
Aquilo que devemos dar a Deus Pai, conforme descreve o capítulo 6 do Livro do Deuteronômio, ficamos sabendo que devemos dar também a Deus Filho: “Amarás o…

Costumes Matrimoniais nos Tempos Bíblicos: Casamento, Levirato, Violações do Casamento, Pessoa solteira e Divórcio"

Nos tempos bíblicos, o primeiro passo no casamento era dado pelo homem ou por sua família (Gênesis 4:19; 6:2; 12:19; 24:67; Êxodo 2:1). Geralmente, as famílias do casal faziam o arranjo do casamento. Assim Hagar, como chefe da família "o casou [Ismael] com uma mulher da terra do Egito" (Gênesis 21:21). Estando Isaque com quarenta anos de idade, era perfeitamente capaz de escolher sua própria esposa (Gênesis 25:20); no entanto, Abraão mandou seu servo a Harã a fim de buscar uma esposa para Isaque (Gênesis 24). Abraão deu ao servo duas ordens estritas: A noiva não podia ser cananeia, e devia deixar o lar paterno para viver com Isaque na Terra Prometida. Em circunstância alguma devia Isaque voltar a Harã para viver de acordo com o antigo modo de vida da família. O servo de Abraão encontrou a orientação do Senhor em sua escolha (Gênesis 24:12-32). Então, segundo o costume da Mesopotâmia, ele fez os arranjos com o irmão e a mãe da moça (Gênesis 24:28-29, 33). Ele selou o acordo …

Moringa, uma planta com imensos benefícios

Se ainda não ouviu falar da moringa, vai, neste artigo ficar a conhecer uma planta com bastantes benefícios para a saúde e o bem-estar do corpo. Moringa (Moringa oleifera) é uma planta de origem tropical ainda pouca conhecida na Europa, embora o seu uso como suplemento dietético comece pouco a pouco a estender-se. Um número cada vez maior de estudos científicos associam a ingestão de moringa em pó com inúmeros benefícios para a saúde, como a melhoria da pressão arterial, da glicose, a redução do colesterol, entre os outros. A árvore da Moringa Oleifera atinge uma altura de 7-12 metros é, originária das zonas próximo do Himalaia (Índia e Paquistão), e muito popular em países tropicais e subtropicais da África, Ásia (Filipinas, Camboja), América do Sul e Central e no Havaí, onde também é cultivada. Moringa – um potencial suplemento dietético A árvore de Moringa vem sendo usada ao longo dos tempos como uma planta medicinal. Sendo por isso conhecida como árvore milagrosa. Todas as partes …