Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2019

Deus te procura sempre!

Prezados irmãos e irmãs, bom dia!

Prosseguindo as catequeses sobre o “Pai-Nosso”, hoje comecemos pela observação de que, no Novo Testamento, parece que a oração deseja chegar ao essencial, até se concentrar numa única palavra: Aba, Pai!

Ouvimos o que São Paulo escreve na Carta aos Romanos: «Porquanto não recebestes um espírito de escravidão, para viverdes ainda no temor, mas recebestes o espírito de adoção pelo qual clamamos: “Aba! Pai!”» (8, 15). E aos Gálatas, o Apóstolo diz: «A prova de que sois filhos é que Deus enviou aos vossos corações o Espírito do seu Filho, que clama: “Aba, Pai!’’» (Gl 4, 6). Repete-se duas vezes a mesma invocação, na qual está condensada toda a novidade do Evangelho. Depois de ter conhecido Jesus e ouvido a sua pregação, o cristão já não considera Deus como um tirano que se deve temer, já não tem medo mas sente florescer no seu coração a confiança n’Ele: pode falar com o Criador chamando-o “Pai”! A expressão é tão importante para os cristãos, que muitas ve…

O catequista e o anúncio Jesus Cristo

Num encontro com catequistas uma jovem me fez a seguinte pergunta: o que afinal é a catequese? Para que existe catequese na Igreja? E percebi que a dúvida não era somente dela. Havia catequistas já bem "antigas" que pareciam um tanto perplexas com a questão colocada. E me olharam esperando a resposta.  A catequese, dizendo de maneira mais simples, existe para anunciar o amor de Deus revelado em Jesus Cristo. A catequese não é outra coisa senão o anúncio da vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo. Para muitos catequistas o anúncio de Jesus Cristo ainda não é o centro do itinerário catequético. Na lista de conteúdos com crianças, por exemplo, encontramos longa lista de temas sobre como sacramentos, mandamentos, profetas etc. Não que não sejam importantes, mas para o anúncio de Jesus é destinado dois ou três temas. O itinerário catequético tem como objetivo anunciar o nascimento, vida, morte e ressurreição de Jesus. Ele é o centro da vida cristã. Não podemos perder de vista…

Onde você estava enquanto eu sofria?

Amizade é caridade em serviço...




A companhia e o companheirismo devem estar a serviço de um para o outro, conforme a caridade do sentir que unem dois amigos, quem sabe um grupo destes. Mas o que a nossa realidade enxerga é diferente.


Vivemos em tempos difíceis, em núcleos segmentados, descontinuados. Somos somente aquilo que precisamos ser, sem nos preocupar com a continuidade dos fatos, com o alimento que envolve e faz crescer, durar ou torna válido qualquer sentir. O amor é traduzido em amizade quando admiração e cuidar perfilam-se e de mão dadas criam este sentimento que é rico em doação e caridade.


E nas adversidades? Estou preparado para ser o amigo que preciso ser?


Quando as “noites traiçoeiras” caem sobre nós, onde estão nossos amigos? É preciso ter dom para ser amigo, e ter certeza que muitos te escolhem mesmo que você nem perceba.

Quando alguém bater-te à porta do coração, com lágrimas no olhar e sorriso torto, deixe-o entrar com o mesmo cuidado com que tratas uma criança assustad…