Pular para o conteúdo principal

Bispo comenta ensinamentos do Papa Francisco para o sacerdócio



"A evangelização da Igreja acontece especialmente pelas mãos dos padres". É o que afirma o arcebispo de Palmas (TO) e presidente da Comissão Episcopal para os Ministérios Ordenados, dom Pedro Britto. Nesta semana dedicada às vocações sacerdotais na Igreja, o arcebispo também reflete sobre a mensagem que o Papa Francisco tem trazido para este ministério sacerdotal.

Dom Pedro recordou o importante trabalho que exercem os presbíteros, expressão concreta da presença de Cristo e da Igreja nas comunidades. "Gostaria de dizer aos padres que estamos contentes por este ministério tão próximo do povo e inserido na vida da comunidade. Embora os leigos tenham uma mensagem importante, o simbolismo do padre é muito forte".

O dia do padre foi celebrado pelos católicos no último domingo, 4, festa do santo patrono dos sacerdotes, São João Maria Batista Vianney. Em agosto, a Igreja dedica suas reflexões e orações especialmente para as vocações. A iniciativa acontece todos os anos no Brasil.

Os padres e a mensagem de Francisco

Recordando a mensagem do Papa Francisco durante sua passagem pelo Brasil, dom Pedro Britto traçou um paralelo entre o ensinamento do Papa e o exercício do sacerdócio.

Ao visitar o país, o Santo Padre celebrou uma missa com o clero presente no Rio de Janeiro, no sábado, 27 de julho. Na ocasião, Francisco exortou aos sacerdotes e bispos a desenvolverem a vocação missionária da Igreja, indo ao encontro do povo.

Sobre a importância da vida de oração para o padre, mencionada pelo Papa, dom Pedro acrescentou que, na evangelização, o encontro com Cristo é ponto chave. "As técnicas são uns instrumentos de evangelização, ajudam a Igreja no seu trabalho, mas nada se compara ao encontro que a pessoa tem com Jesus Cristo, o contato imediato com Ele, seja através da oração, da escuta da Palavra, da celebração do sacramento da Eucaristia ou por meio da caridade ou onde se pode encontrar a veia do Evangelho".

Para o bispo, o que de fato salva é o encontro com Cristo; as técnicas, os métodos pragmáticos são apenas meios que não podem substituir o encontro.

A cultura do encontro na missão sacerdotal

O Papa Francisco tem insistido na necessidade de excluir a cultura do descartável e buscar a cultura do encontro. Esse foi outro aspecto destacado aos padres no dia 27 de julho.

Para dom Pedro, essa cultura deve ser vivida em duas dimensões: a do encontro com Cristo e com os irmãos nas periferias da vida ou em qualquer ambiente em que vivem. Segundo o bispo, os padres, a Igreja, devem ser especialistas em encontrar-se, seja com Cristo, seja com as pessoas.

Ativismo religioso: todo cuidado é pouco

Em contraste à cultura do encontro, estão a eficiência e o pragmatismo. Sobre essa questão, dom Pedro manifestou a necessidade de cuidado para que os padres e leigos não caiam no ativismo.

"Nós podemos cair no perigo do ativismo, do fazer coisas como se fôssemos empresários, na eficiência das coisas. Tudo nos conformes, na Igreja tudo está no lugar, uma liturgia impecável, um altar muito bonito e etc. Tudo muito eficiente, mas será que há vida nessa paróquia, será que sobra tempo para esse sentar-se ao lado, esse escutar, esse sair para as periferias existenciais e no coração?", questionou.

Para ele, atividades como cuidar da beleza das coisas, a técnica, a metodologia, o planejamento, o escrever livros e fazer documentos são importantes, mas não pode faltar a "veia essencial que é a vida espiritual". "O mistério de Deus é mais importante que a eficiência e o ativismo", salientou.

"Não estamos acusando ninguém - disse o bispo - mas às vezes achamos que já atingimos o ápice, nos entretemos com outras verdades e questões e deixamos de procurar o outro, de ir atrás, de insistir. O mundo de hoje não nos permite fazer isso! O Papa percebeu essa realidade e nos disse com todas as letras que é preciso mudar de perspectivas", afirmou.

Dom Pedro acredita que é necessário rever a atitude de ficar esperando, conformados, "pescando no próprio aquário e cuidando da pastoral de conservação". Para ele, a conversão pastoral pedida pelo Papa aos bispos da América Latina requer "abandonar as estruturas caducas que não mais evangelizam". "Se a Igreja quiser sobreviver hoje, e ela quer e precisa, o caminho é este indicado pelo Papa", lembrou.

Por fim, dom Pedro convidou o clero a viver a essência de sua vocação. "Gostaria de dizer isso aos sacerdotes: 'Seja padre, somente padre, totalmente padre!'. Seja padre, que significa o querer, a vocação; somente padre porque às vezes a gente quer ser padre, mas também quer fazer outras coisas, quer dividir o coração com outras pessoas e viver como o mundo quer; e ser totalmente padre que significa ser de coração, por inteiro. Essa é minha mensagem aos sacerdotes".

Fonte: ACI Digital

Postagens mais visitadas deste blog

Reflexão sobre o Evangelho segundo S. Lucas, cap. 14, vs. 25 a 33

Leitura do Evangelho do 23º Domingo do Tempo Comum



No capítulo 14 do Evangelho segundo S. Lucas, vemos Jesus que quer preparar a todos os seus seguidores para o seu Sacrifício na Cruz, bem como para as consequências que implicam da decisão de segui-lo. O Senhor, com imensa decisão, resolve partir para Jerusalém, mesmo sabendo que caminha para a sua própria morte.
No versículo 25, Jesus vê que não está sozinho: grandes multidões o acompanhavam. O texto original em grego enfatiza que aquelas pessoas “caminhavam junto” com Ele. Aquelas pessoas vão com o Senhor, e Ele quer alertá-las, torná-las conscientes de para onde estão indo e em que implicará a decisão de acompanhá-lo. Parando no meio da jornada, Ele se volta para essas pessoas e lhes diz algo como: “Vocês querem ir comigo, mas vocês sabem qual é a realidade de ser meu discípulo?”.
Aquilo que devemos dar a Deus Pai, conforme descreve o capítulo 6 do Livro do Deuteronômio, ficamos sabendo que devemos dar também a Deus Filho: “Amarás o…

Costumes Matrimoniais nos Tempos Bíblicos: Casamento, Levirato, Violações do Casamento, Pessoa solteira e Divórcio"

Nos tempos bíblicos, o primeiro passo no casamento era dado pelo homem ou por sua família (Gênesis 4:19; 6:2; 12:19; 24:67; Êxodo 2:1). Geralmente, as famílias do casal faziam o arranjo do casamento. Assim Hagar, como chefe da família "o casou [Ismael] com uma mulher da terra do Egito" (Gênesis 21:21). Estando Isaque com quarenta anos de idade, era perfeitamente capaz de escolher sua própria esposa (Gênesis 25:20); no entanto, Abraão mandou seu servo a Harã a fim de buscar uma esposa para Isaque (Gênesis 24). Abraão deu ao servo duas ordens estritas: A noiva não podia ser cananeia, e devia deixar o lar paterno para viver com Isaque na Terra Prometida. Em circunstância alguma devia Isaque voltar a Harã para viver de acordo com o antigo modo de vida da família. O servo de Abraão encontrou a orientação do Senhor em sua escolha (Gênesis 24:12-32). Então, segundo o costume da Mesopotâmia, ele fez os arranjos com o irmão e a mãe da moça (Gênesis 24:28-29, 33). Ele selou o acordo …

Moringa, uma planta com imensos benefícios

Se ainda não ouviu falar da moringa, vai, neste artigo ficar a conhecer uma planta com bastantes benefícios para a saúde e o bem-estar do corpo. Moringa (Moringa oleifera) é uma planta de origem tropical ainda pouca conhecida na Europa, embora o seu uso como suplemento dietético comece pouco a pouco a estender-se. Um número cada vez maior de estudos científicos associam a ingestão de moringa em pó com inúmeros benefícios para a saúde, como a melhoria da pressão arterial, da glicose, a redução do colesterol, entre os outros. A árvore da Moringa Oleifera atinge uma altura de 7-12 metros é, originária das zonas próximo do Himalaia (Índia e Paquistão), e muito popular em países tropicais e subtropicais da África, Ásia (Filipinas, Camboja), América do Sul e Central e no Havaí, onde também é cultivada. Moringa – um potencial suplemento dietético A árvore de Moringa vem sendo usada ao longo dos tempos como uma planta medicinal. Sendo por isso conhecida como árvore milagrosa. Todas as partes …