Pular para o conteúdo principal

As Riquezas da Igreja


Por: Eduardo Moreira 

O mundo de hoje, com certa hipocrisia, anda a interpretar livremente o Evangelho a seu bel prazer impondo fardos pesados nos outros e retirando os mais leves de cima de si. Não raras as vezes vemos pessoas dizendo que o Vaticano deveria vender seu patrimônio para matar a fome dos pobres enquanto esses mesmos não doam sequer 10 centavos para um mendicante nas ruas, sempre com o mesmo argumento de que “ele vai comprar droga”. Cabem, entretanto, algumas considerações acerca da riqueza da Igreja.
Primeiramente, conta-se uma história de que o Papa Paulo VI teria vendido sua tiara papal para simbolizar o despojamento das riquezas. Com o dinheiro obtido, esse Papa teria comprado comida para os pobres. No dia seguinte, a economia continuava igual, a desigualdade social não tinha diminuído e ninguém tinha se tornado mais rico por causa desse nobre ato. Os mesmos pobres que tinham saciado sua fome estavam novamente com fome nas ruas mendigando um prato de comida. É claro que esse ato do Papa foi um símbolo de humildade, mas sendo nós francos (e com todo respeito que devemos ter pelo Papa), qual foi a contribuição efetiva pra esse ato na mudança da vida das pessoas? Em termos materiais, nenhuma. Talvez reste hoje uma vaga lembrança na memória das pessoas sobre o Papa que vendeu sua tiara papal, mas penso que muito pouca gente se lembra disso ou já leu algo sobre.
O que esses céticos que tanto criticam a Santa Sé não sabem é que eles não têm a menor noção do real valor das coisas que estão no Vaticano e nem do que elas representam. Como um exemplo da estupidez materialista desses cético lembro que não é incomum ver pessoas divulgando a foto do Papa Emérito Bento XVI sentado em um trono, supostamente de ouro, que, se fosse vendido daria pra comprar comida pra milhões de famintos. Até hoje não sei se todo esse alarme por causa “do tal trono de ouro“ é tolice ou pura má-fé. A verdade é que o trono papal não é de ouro, mas sim de madeira recoberta por uma fina camada de bronze. Como diz o ditado, nem tudo o que reluz é ouro. O trono papal é amarelo dourado, mas não é de ouro e certamente não mataria a fome do mundo inteiro.
Em segundo lugar, o papel da Igreja é exercer a bondade e não resolver grandes mazelas sociais que estão totalmente fora de seu alcance. O que a Igreja pode fazer, e tem feito muito bem, é criar instituições caritativas e apelar aos mais ricos para que perdoem as dívidas dos mais pobres ou para que sejam caridosos. Não são raros os documentos papais que pedem a caridade às pessoas e não vou citá-los porque um texto não seria suficiente para tal. Outra contribuição da Igreja para resolver as mazelas da sociedade é defender os valores morais porque sem eles o coração se torna duro e a sociedade fria, incapaz de ajudar os mais necessitados. Por fim, a Igreja elaborou sua Doutrina Social que jamais foi colocada em prática em nenhum país, mas se fosse certamente diminuiria muito a pobreza.
Em terceiro lugar, mesmo que o Vaticano quisesse vender suas “riquezas” não poderia, mesmo porque a maior riqueza da Igreja são as pessoas e não seus tesouros. Diz um conto que certa vez um prefeito perverso pediu a São Lourenço, diácono da Igreja Primitiva, que lhe desse todas as suas riquezas para que a cidade pudesse enviá-las à Roma. De fato, a comunidade de São Lourenço era rica e ele, como diácono, administrava essa riqueza. São Lourenço teria então reunido todos os mendigos, doentes, viúvas e órfãos e, apresentando-os ao prefeito, teria dito: aqui estão nossas maiores riquezas. Enfurecido, o prefeito teria queimado São Lourenço vivo em um braseiro feito no chão. Dizem até que São Lourenço, dono de um humor típico de quem tem uma fé inquebrável, teria dito: vire-me do outro lado porque esse já está bem tostado. E assim morreu esse doutor da humildade, um dos maiores mártires da Igreja Católica. Quanto às riquezas materiais das quais dispõe o Vaticano atualmente, essas não podem ser vendidas porque são patrimônio da humanidade. Mesmo sendo consideradas peças caras as obras em poder da Igreja não tem valor efetivo nenhum, afinal, esse patrimônio não rende nada a ninguém. Em resumo, faz tanto sentido pedir que Roma venda seus “tesouros” quanto pedir a venda de tudo o que existe nos museus do mundo. Cabe aqui uma pergunta, intrigante aos hipócritas que defendem a igualdade social: quem compraria bens tão caros, segundo as palavras dos pseudo-socialistas, senão os grandes detentores do capital mundial? Quer dizer, essas pessoas defendem que os maiores ricos do mundo comprem os bens da Igreja tornando-se ainda mais ricos. Muito coerente!
Em quarto lugar, se quebrarem a maior instituição caritativa do mundo, quem ficará em seu lugar? Quem arcará com os milhares de orfanatos, hospitais, azilos e outras instituições beneficentes da Igreja? Os socialistas? Ou será que seriam os mesmos extra-terrestres que, segundo Richard Dawkins, teriam plantado a vida na terra? Talvez a Richard Dawkins Foundation pudesse fazer isso. Enfim, nossos especialistas em resolver as mazelas africanas não pensaram nesse detalhe (aliás, penso que nem saibam pensar de fato).
O que mais chama a atenção é que muitas pessoas que criticam os bens da Igreja nunca fizeram nada para mudar o mundo. Defendem regimes autoritários e assassinos que, muito distante de matar a fome dos pobres, deram a esses bastante companhia como em Cuba, por exemplo.
A verdade é que esse argumento de que a Igreja deveria vender seus bens casa-se perfeitamente com o pensamento ateísta militante, o mesmo presente nos países socialistas que levaram tantos cristãos ao fuzilamento pelo simples fato deles serem cristãos. Essa ideia de que a Igreja deveria vender tudo o que tem tenta esconder, no fim das contas, um profundo desejo de que Ela deixe de existir. Aos que têm tal desejo, eu sinto informar mas Deus assegurou que a Igreja estaria presente entre nós até o fim dos tempos. Ela é uma força contra a qual não adianta lutar porque é o próprio Deus quem a manteve. Todas as tentativas de derrubá-la foram inúteis, leiam a história e vocês verão isso. Matem os cristãos e o sangue deles irrigará o terreno de onde nascerão novos mártires. Fechem Igrejas e os cristãos se reunirão até nos esgotos. Prendam nossos bispos e eles celebrarão a Santa Missa nas cadeias usando o próprio peito como altar. Se você que é contra a Igreja pretende perseguir os cristãos, saiba que para nós essa vida não é nada. Como disse São Paulo, viver para nós é Cristo e morrer é lucro. Para o verdadeiro cristão nada se compara à alegria do Céu, nem mesmo os maiores prazeres terrenos.
É triste ver o estado das pessoas cegas com o próprio ódio. Os mesmos que dizem que “o amor é sua religião” ou que “se unem pelo amor ao contrário dos cristãos que se unem pelo ódio” manifestam um ódio mortal pelo cristianismo e pelos seus seguidores. Entretanto, nós cristãos devemos continuar nossa caminhada de 2000 anos amando nossos inimigos e sufocando o ódio deles com a Misericórdia de Deus.

Postagens mais visitadas deste blog

SANGUE INUNDARÁ O BRASIL" - PROFECIA DE NOSSA SENHORA SOBRE O BRASIL EM 1936

"O
Os 3 grandes castigos! Fez-se inexplicável silêncio sobre as aparições de Nossa Senhora no agreste pernambucano em 1936 e caíram no esquecimento. Mas a Ssma. Virgem anunciara que viriam tempos calamitosos e três grandes castigos para o Brasil. No primeiro artigo, reproduzido abaixo, seu autor comenta essas previsões sobre o prisma da crise da Igreja e a ameaça comunista ao Brasil. O segundo texto, do grande lutador Pe. Júlio Maria, apresenta uma pormenorizada narração dessas aparições de 1936 em que Nossa Senhora anunciou que o sangue inundará o Brasil.
A VIRGEM SANTÍSSIMA AFIRMA QUE O BRASIL PASSARÁ POR UMA SANGRENTA REVOLUÇÃO PROMOVIDA PELO COMUNISMO! FRANCISCO ALMEIDA ARAÚJO *
Todos quantos me conhecem através de meus escritos, palestras, cursos e programas de Rádio e Televisão promovidos em todas as regiões do nosso querido Brasil, sabem da minha relutância em divulgar revelações particulares ainda não reconhecidas pelo Magistério da Igreja. No entanto, de todas as “revelações pa…

Reflexão sobre o Evangelho segundo S. Lucas, cap. 14, vs. 25 a 33

Leitura do Evangelho do 23º Domingo do Tempo Comum



No capítulo 14 do Evangelho segundo S. Lucas, vemos Jesus que quer preparar a todos os seus seguidores para o seu Sacrifício na Cruz, bem como para as consequências que implicam da decisão de segui-lo. O Senhor, com imensa decisão, resolve partir para Jerusalém, mesmo sabendo que caminha para a sua própria morte.
No versículo 25, Jesus vê que não está sozinho: grandes multidões o acompanhavam. O texto original em grego enfatiza que aquelas pessoas “caminhavam junto” com Ele. Aquelas pessoas vão com o Senhor, e Ele quer alertá-las, torná-las conscientes de para onde estão indo e em que implicará a decisão de acompanhá-lo. Parando no meio da jornada, Ele se volta para essas pessoas e lhes diz algo como: “Vocês querem ir comigo, mas vocês sabem qual é a realidade de ser meu discípulo?”.
Aquilo que devemos dar a Deus Pai, conforme descreve o capítulo 6 do Livro do Deuteronômio, ficamos sabendo que devemos dar também a Deus Filho: “Amarás o…

Moringa, uma planta com imensos benefícios

Se ainda não ouviu falar da moringa, vai, neste artigo ficar a conhecer uma planta com bastantes benefícios para a saúde e o bem-estar do corpo. Moringa (Moringa oleifera) é uma planta de origem tropical ainda pouca conhecida na Europa, embora o seu uso como suplemento dietético comece pouco a pouco a estender-se. Um número cada vez maior de estudos científicos associam a ingestão de moringa em pó com inúmeros benefícios para a saúde, como a melhoria da pressão arterial, da glicose, a redução do colesterol, entre os outros. A árvore da Moringa Oleifera atinge uma altura de 7-12 metros é, originária das zonas próximo do Himalaia (Índia e Paquistão), e muito popular em países tropicais e subtropicais da África, Ásia (Filipinas, Camboja), América do Sul e Central e no Havaí, onde também é cultivada. Moringa – um potencial suplemento dietético A árvore de Moringa vem sendo usada ao longo dos tempos como uma planta medicinal. Sendo por isso conhecida como árvore milagrosa. Todas as partes …