Pular para o conteúdo principal

O milagre e a pérola


Uma das maravilhas que Deus criou foi o Mar. Achar uma praia deserta, ainda repleta de vegetação, com rochas e areia branca... que maravilha! Caminhar lentamente ao longo do mar, observando toda essa natureza, com o vento soprando entre as folhas e as ondas, de vez em quando encontrar alguma estrela de mar, ou alguma concha ou mesmo algum caramujo ou um pequeno peixe que se aproximam da praia, trazidos pela onda... que maravilha!

Numa humilde cidade litorânea, vivia um povoado muito harmônico. As casas, pequenas mas feitas com bom gosto, ruas de terra misturadas com areia, crianças correndo atrás de pássaros, rindo, outras sentadas no chão se ocupando com brinquedos de madeira, certamente feitos pelos seus pais, as meninas carregando suas bonecas de pano costuradas pelas próprias mães com roupinhas, sapatinhos e até chapéus. À noite, o sossego do recolhimento, as estrêlas brilhantes no céu, as casas iluminadas à lamparinas, e o murmurar das ondas do mar. Nada poderia ser mais perfeito.

Justamente naquela cidadezinha, uma casa mais próxima das rochas litorâneas ainda mantinha a luz da lamparina acesa, enquanto o restante da aldeia já estava apenas ao brilho do luar. Quem se aproximasse da porta daquela casa ouvia o som de uma família reunida rezando fervorosamente. Percebia-se logo que alguém estava doente e de cama. Nas preces a Mãe de vez em quando pedia:“Senhora Mãe de Deus, ajudai-nos, curai meu marido, e dai-nos o sustento porque necessitamos.”

O que teria acontecido? Para entender é preciso voltar no tempo e contar a história desde o início.

Aquela família era composta de cinco pessoas: Pai, Mãe e três filhos. O filho mais velho tinha sete anos e já freqüentava a igreja local para as aulas de catecismo.

O pai era um hábil mergulhador e sustentava sua família com a venda das ostras e pérolas que colhia nas rochas do mar. As ostras também são conhecidas por madrepérolas (Perola-Mãe), porque elas é que produzem as pérolas. O interior de suas conchas rústicas é todo revestido por uma camada fina da mesma substancia da pérola. Normalmente essas conchas ficam incrustadas nas rochas submersas no mar, sendo necessário um bom canivete para retirá-las. Essas rochas submersas não contêm apenas as ostras, mas uma cadeia alimentar muito grande: é morada de muitos seres vivos, como outros moluscos que conhecemos como marisco de casca preta ou mexilhões, algas marinhas e outros seres de pequeno porte desde micro elementos até caranguejos e siris. Isso atrai a atenção dos peixes que vão nessas rochas tirar seus alimentos também.

Num desses dias rotineiros, estava o Pai mergulhado nas águas do mar, procurando em rochas mais profundas uma madrepérola que fosse um pouco maior do que as que habitualmente costumava encontrar. De repente, olhou para frente e viu uma arraia grande se aproximando. Acostumado com os habitantes do mar, a princípio ele não se incomodou, mesmo assim teve a cautela de ficar atrás da rocha. Mas parecia que aquela arraia não estava nos seus melhores dias, mostrando-se muito irritada. Não demorou muito para que investisse contra o mergulhador, dando-lhe uma ferroada com sua cauda de ferrão venenoso, no joelho da perna esquerda causando-lhe muita dor.

Com sacrifício conseguiu emergir e, se agarrando nas pedras, saiu do mar, caminhando com sofreguidão até sua casa. Deitado em sua cama e sem recursos para pagar um médico, a perna acabou infeccionando, tornando-o imprestável para outro mergulho ou mesmo caminhar normalmente. Com isso, não poderia mais sustentar sua família e começaram a passar necessidades.

A família se reunia toda a noite ao redor da cama do Pai, e rezavam juntos pedindo as graças de Nossa Senhora. O filho mais velho de sete anos, que estudava catecismo e que gostava muito de ouvir histórias sobre os milagres de Nossa Senhora, ficava pensando: “Nossa Senhora já atendeu muita gente, no entanto meu pai ainda não foi atendido. Acho que precisamos ir lá na igreja pedir diretamente para Ela.”

No dia seguinte, bem cedinho, foi tentar convencer seu pai a sair da cama e levar ele lá na Igreja, fazer o pedido de cura aos pés da Virgem Imaculada.

- Meu filho, eu não posso andar, veja as condições em que está minha perna. Nossa Senhora nos ouve quando rezamos, não precisamos ir lá. - dizia o pai.

Cheio de fé, inocente, o pequeno insistia:

- Meu pai, temos que ir visitar Nossa Senhora, eu lhe ajudarei a caminhar. Eu prometo que falarei com Nossa Senhora sobre o senhor.

O pai vendo os olhos do filho marejados de lágrimas, tanta inocência brilhando no seu rosto e um sorriso irrecusável, não teve outra alternativa senão a de se apoiar num bastão e vagarosamente caminhar até a igreja.

Chegando lá, os olhos de ambos se voltaram ao alto, em busca do olhar misericordioso e cheio de bondade da Virgem Imaculada. Foi quando o menino, cheio de fé, aconselhou o pai:

- Faça uma promessa, Nossa Senhora o atenderá.

O pai sorrindo, e vendo tanta fé nas palavras de seu filho, pediu à Mãe de Deus que se o curasse a ponto dele poder voltar a mergulhar, a primeira perola que ele encontrasse, daria a Nossa Senhora. Depois de terem rezado, voltaram com sofreguidão para o descanso do lar.

O milagre veio. Sua perna foi desinchando e a coloração escura da perna, foi voltando ao normal. Já podia dobrar o joelho, e as dores iam diminuindo significativamente. Ao cabo de mais algum curto tempo, milagrosamente estava curado.

Nem é preciso descrever o contentamento de toda a família pelo ocorrido.

Bom, agora era a hora de cumprir a promessa. O pai voltaria a mergulhar e a primeira pérola encontrada deveria ser de Nossa Senhora. E assim se fez.

Num daqueles dias ensolarados, o pai mergulhou. A alegria de estar podendo se movimentar fez com que ele procurasse uma madrepérola especial para Nossa Senhora. Assim ocorreu. Atrás de uma rocha submersa havia uma grande surpresa. Uma madrepérola muito grande. Rapidamente usou sua habilidade e logo a retirou de seu lugar nativo. Emergindo, foi para praia e tratou de abrir cuidadosamente a concha rústica. Seus olhos brilharam muito quando se deparou com uma pérola enorme. Só estranhou que a pérola não tivesse a forma perfeitamente redonda – coisa pouco comum. Mas mesmo assim uma pérola daquele tamanho deveria valer uma fortuna.

Agora, o grande dilema: Fico com a pérola e fico rico, ou cumpro a promessa de dou a pérola para Nossa Senhora?

Terrível indecisão. Perturbadora hesitação.

Depois de refletir sobre o assunto, baixou a cabeça, e disse para si mesmo: “Obrigado, Senhora, pelas graças que me destes, pelos benefícios que me concedestes, pelos sofrimentos dos quais me livrastes. Esta jóia Lhe pertence, com toda a certeza.”

Chegando em casa, mostrou a todos os seus o que tinha achado, quando o seu filho notou que a pérola “amassada” tinha o mesmo formato do joelho do seu pai que havia sido golpeado pela arraia.

E era a verdade. Era a réplica perfeita do joelho do pai. Estava confirmado o milagre. Foram à Igreja doar a pérola para Nossa Senhora, que certamente ficaria aos cuidados do padre local, relatando-lhe os detalhes dessa maravilhosa história.

Durante muito tempo essa jóia ficou exposta na Igreja, com uma placa indicativa de sua história. Depois acabou sumindo e não se sabe onde está.

(Esta história foi recontada, mas baseada em fatos reais. Desconheço o autor que relatou o fato original)

Postagens mais visitadas deste blog

SANGUE INUNDARÁ O BRASIL" - PROFECIA DE NOSSA SENHORA SOBRE O BRASIL EM 1936

"O
Os 3 grandes castigos! Fez-se inexplicável silêncio sobre as aparições de Nossa Senhora no agreste pernambucano em 1936 e caíram no esquecimento. Mas a Ssma. Virgem anunciara que viriam tempos calamitosos e três grandes castigos para o Brasil. No primeiro artigo, reproduzido abaixo, seu autor comenta essas previsões sobre o prisma da crise da Igreja e a ameaça comunista ao Brasil. O segundo texto, do grande lutador Pe. Júlio Maria, apresenta uma pormenorizada narração dessas aparições de 1936 em que Nossa Senhora anunciou que o sangue inundará o Brasil.
A VIRGEM SANTÍSSIMA AFIRMA QUE O BRASIL PASSARÁ POR UMA SANGRENTA REVOLUÇÃO PROMOVIDA PELO COMUNISMO! FRANCISCO ALMEIDA ARAÚJO *
Todos quantos me conhecem através de meus escritos, palestras, cursos e programas de Rádio e Televisão promovidos em todas as regiões do nosso querido Brasil, sabem da minha relutância em divulgar revelações particulares ainda não reconhecidas pelo Magistério da Igreja. No entanto, de todas as “revelações pa…

Reflexão sobre o Evangelho segundo S. Lucas, cap. 14, vs. 25 a 33

Leitura do Evangelho do 23º Domingo do Tempo Comum



No capítulo 14 do Evangelho segundo S. Lucas, vemos Jesus que quer preparar a todos os seus seguidores para o seu Sacrifício na Cruz, bem como para as consequências que implicam da decisão de segui-lo. O Senhor, com imensa decisão, resolve partir para Jerusalém, mesmo sabendo que caminha para a sua própria morte.
No versículo 25, Jesus vê que não está sozinho: grandes multidões o acompanhavam. O texto original em grego enfatiza que aquelas pessoas “caminhavam junto” com Ele. Aquelas pessoas vão com o Senhor, e Ele quer alertá-las, torná-las conscientes de para onde estão indo e em que implicará a decisão de acompanhá-lo. Parando no meio da jornada, Ele se volta para essas pessoas e lhes diz algo como: “Vocês querem ir comigo, mas vocês sabem qual é a realidade de ser meu discípulo?”.
Aquilo que devemos dar a Deus Pai, conforme descreve o capítulo 6 do Livro do Deuteronômio, ficamos sabendo que devemos dar também a Deus Filho: “Amarás o…

Moringa, uma planta com imensos benefícios

Se ainda não ouviu falar da moringa, vai, neste artigo ficar a conhecer uma planta com bastantes benefícios para a saúde e o bem-estar do corpo. Moringa (Moringa oleifera) é uma planta de origem tropical ainda pouca conhecida na Europa, embora o seu uso como suplemento dietético comece pouco a pouco a estender-se. Um número cada vez maior de estudos científicos associam a ingestão de moringa em pó com inúmeros benefícios para a saúde, como a melhoria da pressão arterial, da glicose, a redução do colesterol, entre os outros. A árvore da Moringa Oleifera atinge uma altura de 7-12 metros é, originária das zonas próximo do Himalaia (Índia e Paquistão), e muito popular em países tropicais e subtropicais da África, Ásia (Filipinas, Camboja), América do Sul e Central e no Havaí, onde também é cultivada. Moringa – um potencial suplemento dietético A árvore de Moringa vem sendo usada ao longo dos tempos como uma planta medicinal. Sendo por isso conhecida como árvore milagrosa. Todas as partes …