Pular para o conteúdo principal

Um Papa abandona Roma em ruínas, mas percebe que deve voltar.


Entre o 24 de maio e o 24 de junho de 1873, São João Bosco escreveu uma carta profética dirigida ao bem-aventurado Pio IX, então felizmente reinante em meio a tempestades temíveis suscitadas pelos inimigos da Igreja, internos e externos. A semelhança de certos aspectos da profecia do grande santo italiano com a profecia de Nossa Senhora em La Salette se patenteia nos termos em que está redigida a carta:

"Era uma noite escura, os homens já não podiam distinguir qual fosse o caminho a ser seguido para voltar sobre os próprios passos, quando apareceu no Céu uma luz fortíssima que iluminava as passadas dos viajantes como se fosse pleno dia. Naquele momento, viu-se uma multidão de homens, monjas e sacerdotes, tendo à frente o Santo Padre, sair do Vaticano ordenando-se como se fosse uma procissão. Nesse meio tempo, chegou-se a uma pequena praça coberta de mortos e feridos, vários dos quais pediam conforto com fortes gritos. A fila da procissão foi rareando bastante.

Depois de ter caminhando por um tempo correspondente a duzentos nasceres do sol, cada um percebeu que não estava mais em Roma. O desconcerto tomou conta de todos e todos se reuniram em volta do Santo Padre para proteger sua pessoa e assisti-lo em suas necessidades. Naquele momento apareceram dois Anjos portando um estandarte que foram apresentar ao Santo Padre, dizendo: - Recebe a bandeira d'Aquele que combate e dispersa os exércitos mais fortes da Terra. Os teus inimigos despareceram, os teus filhos invocam teu retorno com lágrimas e suspiros. Levantando-se o olhar para o estandarte, via-se escrito, de um lado, Regina sine labe concepta e, do outro, Auxilium Christianorum. O Pontífice pegou com alegria o estandarte, mas, vendo o pequeno número de pessoas que haviam sobrado à sua volta, mostrou-se muito aflito. Os dois Anjos acrescentaram:

- Vai logo consolar teus filhos. Escreve aos teus irmãos dispersos nas várias partes do mundo que é necessário fazer uma reforma dos costumes dos homens. Isso não poderá ser alcançado senão distribuindo aos povos o pão da Palavra Divina. Catequizai às crianças, pregai o desapego das coisas terrenas. Chegou o momento em que os pobres evangelizarão os povos, concluíram os dois Anjos. Os levitas serão procurados entre a enxada, a pá e o martelo, para que se cumpram as palavras de Davi: Deus levantou o pobre da terra para colocá-lo no trono dos príncipes de teu povo." Após ouvir tudo isso, o Santo Padre moveu-se e as fileiras da procissão começaram a engrossar. Quando, por fim, pôs os pés na Cidade Santa, começou a chorar pela desolação em que estavam os habitantes, muitos dos quais haviam morrido. Retornando a Basílica de São Pedro, cantou o Te Deum, e lhe respondeu um coro de Anjos cantando Gloria in excelsis Deo et in terra pax hominibus bonae voluntatis. Concluído o cântico, cessou totalmente a escuridão e abriu-se um sol claríssimo.

As cidades, as vilas, os campos tinham sua população bastante diminuída. A terra estava pisada como se tivesse passado um furacão, um temporal, o granizo, e as pessoas iam umas ao encontro das outras dizendo com a alma comovida: Est Deus in Israel [Há Deus em Israel]. Do início do exílio até o Te Deum, o sol levantou-se duzentas vezes. Todo o tempo que passou durante a realização desses fatos corresponde à quatrocentos surgires do sol."

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SUPORTAI-VOS UNS AOS OUTROS...

Muitas vezes tive que ouvir ou ler interpretações estranhas deste apelo que o Apóstolo Paulo faz à comunidade cristã que vivia em Colossos. Dizem que havia problemas e divisões tão graves dentro da comunidade, que Paulo já nem pode dizer-lhes “Amai-vos uns aos outros!”, mas se fica pelo apelo a que todos se aturem o melhor possível.
“Suportai-vos uns aos outros” não significa “Aturai-vos!”, mas antes “Sede o suporte uns dos outros!” É um apelo à comunhão mais profunda, à solidariedade mais consequente, à presença mais fraterna!

As comunidades de discípulos de Jesus devem nascer da escuta do Evangelho proclamado como um grito pascal que abre as pessoas à Esperança, ao desejo de uma Alegria maior e de uma  Liberdade duradoura...

No centro destas comunidades deve estar a experiência de Deus descoberto progressivamente no encontro com o Jesus dos evangelhos, no encontro com os irmãos, no discernimento dos acontecimentos quotidianos e na celebração  da Vida.
Deve tornar-se um espaço de partilh…

Costumes Matrimoniais nos Tempos Bíblicos: Casamento, Levirato, Violações do Casamento, Pessoa solteira e Divórcio"

Nos tempos bíblicos, o primeiro passo no casamento era dado pelo homem ou por sua família (Gênesis 4:19; 6:2; 12:19; 24:67; Êxodo 2:1). Geralmente, as famílias do casal faziam o arranjo do casamento. Assim Hagar, como chefe da família "o casou [Ismael] com uma mulher da terra do Egito" (Gênesis 21:21). Estando Isaque com quarenta anos de idade, era perfeitamente capaz de escolher sua própria esposa (Gênesis 25:20); no entanto, Abraão mandou seu servo a Harã a fim de buscar uma esposa para Isaque (Gênesis 24). Abraão deu ao servo duas ordens estritas: A noiva não podia ser cananeia, e devia deixar o lar paterno para viver com Isaque na Terra Prometida. Em circunstância alguma devia Isaque voltar a Harã para viver de acordo com o antigo modo de vida da família. O servo de Abraão encontrou a orientação do Senhor em sua escolha (Gênesis 24:12-32). Então, segundo o costume da Mesopotâmia, ele fez os arranjos com o irmão e a mãe da moça (Gênesis 24:28-29, 33). Ele selou o acordo …

Operações de cocaína e nariz

Médicos clínicas de cirurgia plástica têm muito a dizer sobre os efeitos do uso de cocaína em muitos pacientes, alguns deles bem conhecidos e populares personagens que têm necessidade das mãos experientes do sono cirurgião.Reparação de um nariz consumida por drogas não é tarefa fácil, é uma operação muito complicada e perigosa para a saúde do paciente. Dado o grande aumento que ocorreu nos últimos anos, o presidente da Sociedade Espanhola de Cirurgia Estética apelou aos seus colegas de profissão para ser vigilante e não se deixe enganar pelos clientes de cocaína que vêm à consulta perguntando retocar o nariz ou problemas respiratórios que reivindicam. Quando se trata de comércio, parece que a verdadeira razão do problema e as complicações podem ser fatais e difícil de resolver. Reconstruir um nariz consumida por drogas é um trabalho que exige mãos experientes, seis ou sete horas de cirurgia e várias sessões até que esteja pronto.Os danos que a cocaína faz com que o nariz é terrível, po…