Pular para o conteúdo principal

Governo paga R$ 443,30 para assassinar bebês pelo SUS

ze_gotinha
Desde o dia 21 de maio, o assassinato de bebês em gestação está plenamente legalizado no Brasil. Toda mulher que chegar a um hospital conveniado com o SUS dizendo que a sua gravidez se deu por meio de uma relação não consentida terá direito de abortar, ainda que esteja contando uma mentira. Explico: basta a palavra da mulher, sem que seja necessário B.O. ou qualquer exame de corpo de delito.
Muita gente não está acreditando que isso seja verdade. Realmente, gostaríamos imensamente de estar enganados, mas não estamos. Basta clicar aqui para ver com seus próprios olhos a Portaria nº 415, de 21 de maio de 2014, que inclui o procedimento “interrupção da gestação/antecipação terapêutica do parto” – esse é o nome bonito para aborto – na Tabela de Procedimentos do SUS. O Governo pagará aos matadour… ops, aos hospitais R$ 443,30  por cada criança morta (saiba mais aqui).
Mas não é só uma questão financeira. Agora, como o procedimento oficialmente faz parte da tabela do SUS, Hospitais católicos e evangélicos filiados ao SUS também estão obrigados a virar matadouro de crianças e realizar o aborto. Os médicos, individualmente, podem se recusar a fazer o aborto alegando “objeção de consciência”, conforme a Norma Técnica de 1998, assinada por José Serra. Porém, esse direito passa a não existir se, na instituição, não houver outro carrasco disponível parar realizar o “serviço”.
Em teoria, só serão assassinados legalmente os bebês cuja gestação ofereça riscos para a saúde da mãe, anencéfalos ou que sejam fruto de estupro. Porém, na prática, a lei permite que a mulher aborte pelo SUS por QUALQUER MOTIVO, bastando que ela diga que a relação não foi consentida. Afinal, uma Norma Técnica de 2005 dispensa apresentação de Boletim de Ocorrência para a realização do aborto.  Basta a declaração da vítima. E é justamente esta brecha que os abortistas estão aproveitando para legalizar o assassinato de bebês sem nenhum tipo de discussão democrática. Confira esse trecho da Norma:
O Código Penal não exige qualquer documento para a prática do abortamento nesses casos e a mulher violentada sexualmente não tem o dever legal de noticiar o fato à polícia. Deve-se orientá-la a tomar as providências policiais e judiciais cabíveis, mas, caso ela não o faça, não lhe pode ser negado o abortamento.
O(a) médico(a) e demais profissionais de saúde não devem temer possíveis consequências jurídicas, caso revele-se posteriormente que a gravidez não foi resultado de violência sexual…



E você sabe qual o conceito de relação sexual não consentida no Brasil? Bem, numa interpretação bem ampla, pode ser até mesmo uma relação entre marido e mulher, em que o marido insistiu muito, mas a mulher não queria por estar com dor de cabeça… e acabou cedendo. Por meio de um artifício muito inteligente – e maligno – o governo conseguiu expandir o conceito de estupro, por meio da Lei nº 12.845, de 1º de agosto de 2013. Veja o que diz o artigo segundo:
Art. 2o  Considera-se violência sexual, para os efeitos desta Lei, qualquer forma de atividade sexual não consentida.
Mais uma vez fica provado que a presidente Dilma Roussef descumpriu a sua palavra dada aos eleitores cristãos. Em carta, ela divulgou durante sua campanha que não pretendia “promover nenhuma iniciativa que afronte a família” e que não iria alterar a legislação sobre o aborto. Agora ela nos dá essa facada nas costas! De fato, a norma técnica não altera a legislação, mas é uma malandragem, uma manobra usada com eficácia para regularizar o aborto a despeito da legislação.
E agora, o que devemos fazer? Vamos aos passos…
  • Rezar o terço;
  • Não perder as esperanças. Ser cristão é crer e saber que Cristo sempre vence;
  • Pressionar nossos governantes para que essa Portaria seja revogada;
  • Fazer incessantemente o nosso trabalho de formiguinha, informando parentes, amigos, colegas de trabalho e de estudo sobre o que está acontecendo no país, um verdadeiro atentado aos valores da maioria esmagadora das famílias brasileiras.
aborto_vazio
Essa discussão não para por aqui.  Vamos aprofundá-la em outros posts.  É preciso entender como o aborto foi legalizado no Brasil sem nenhum tipo de discussão democrática, exatamente como foi feito nos EUA e em outros países, onde o procedimento já é amplamente permitido.  Fizeram tudo isso através de normas técnicas e reinterpretações de leis, justamente para que você não tivesse voz e nada pudesse fazer.
Estamos em guerra e precisamos parar de apanhar.

Postagens mais visitadas deste blog

Costumes Matrimoniais nos Tempos Bíblicos: Casamento, Levirato, Violações do Casamento, Pessoa solteira e Divórcio"

Nos tempos bíblicos, o primeiro passo no casamento era dado pelo homem ou por sua família (Gênesis 4:19; 6:2; 12:19; 24:67; Êxodo 2:1). Geralmente, as famílias do casal faziam o arranjo do casamento. Assim Hagar, como chefe da família "o casou [Ismael] com uma mulher da terra do Egito" (Gênesis 21:21). Estando Isaque com quarenta anos de idade, era perfeitamente capaz de escolher sua própria esposa (Gênesis 25:20); no entanto, Abraão mandou seu servo a Harã a fim de buscar uma esposa para Isaque (Gênesis 24). Abraão deu ao servo duas ordens estritas: A noiva não podia ser cananeia, e devia deixar o lar paterno para viver com Isaque na Terra Prometida. Em circunstância alguma devia Isaque voltar a Harã para viver de acordo com o antigo modo de vida da família. O servo de Abraão encontrou a orientação do Senhor em sua escolha (Gênesis 24:12-32). Então, segundo o costume da Mesopotâmia, ele fez os arranjos com o irmão e a mãe da moça (Gênesis 24:28-29, 33). Ele selou o acordo …

Reflexão sobre o Evangelho segundo S. Lucas, cap. 14, vs. 25 a 33

Leitura do Evangelho do 23º Domingo do Tempo Comum



No capítulo 14 do Evangelho segundo S. Lucas, vemos Jesus que quer preparar a todos os seus seguidores para o seu Sacrifício na Cruz, bem como para as consequências que implicam da decisão de segui-lo. O Senhor, com imensa decisão, resolve partir para Jerusalém, mesmo sabendo que caminha para a sua própria morte.
No versículo 25, Jesus vê que não está sozinho: grandes multidões o acompanhavam. O texto original em grego enfatiza que aquelas pessoas “caminhavam junto” com Ele. Aquelas pessoas vão com o Senhor, e Ele quer alertá-las, torná-las conscientes de para onde estão indo e em que implicará a decisão de acompanhá-lo. Parando no meio da jornada, Ele se volta para essas pessoas e lhes diz algo como: “Vocês querem ir comigo, mas vocês sabem qual é a realidade de ser meu discípulo?”.
Aquilo que devemos dar a Deus Pai, conforme descreve o capítulo 6 do Livro do Deuteronômio, ficamos sabendo que devemos dar também a Deus Filho: “Amarás o…

Moringa, uma planta com imensos benefícios

Se ainda não ouviu falar da moringa, vai, neste artigo ficar a conhecer uma planta com bastantes benefícios para a saúde e o bem-estar do corpo. Moringa (Moringa oleifera) é uma planta de origem tropical ainda pouca conhecida na Europa, embora o seu uso como suplemento dietético comece pouco a pouco a estender-se. Um número cada vez maior de estudos científicos associam a ingestão de moringa em pó com inúmeros benefícios para a saúde, como a melhoria da pressão arterial, da glicose, a redução do colesterol, entre os outros. A árvore da Moringa Oleifera atinge uma altura de 7-12 metros é, originária das zonas próximo do Himalaia (Índia e Paquistão), e muito popular em países tropicais e subtropicais da África, Ásia (Filipinas, Camboja), América do Sul e Central e no Havaí, onde também é cultivada. Moringa – um potencial suplemento dietético A árvore de Moringa vem sendo usada ao longo dos tempos como uma planta medicinal. Sendo por isso conhecida como árvore milagrosa. Todas as partes …