Pular para o conteúdo principal

Corte inaugura “direito à blasfêmia” na França


Mais um sinal dos tempos: Corte francesa absolve feministas que invadiram Catedral de Notre Dame e condena os vigias “por violência contra as militantes”(!)



EM FEVEREIRO do ano passado, ativistas do movimento feminista Femen, famosas por suas exibições internacionais contra a Igreja Católia e contra a moral e os costumes cristãos, nas quais se apresentam sempre desnudas, decidiram comemorar a renúncia do Papa Bento XVI invadindo a Catedral de Notre Dame, em Paris, com inscrições ofensivas à religião e ao Sumo Pontífice em seus corpos. Além de todo o grande transtorno causado pela invasão do templo e pelo ultraje ao sentimento religioso dos católicos, presentes ou não, as militantes danificaram três sinos da igreja histórica com bastões de madeira, segundo informações das agências internacionais.

Agora, as últimas notícias reportam que as feministas foram absolvidas pelo ato na Notre Dame de Paris. Mais: a Justiça penal da França não só decidiu “inocentar nove ativistas do movimento feminista Femen”, como também “condenou três vigias da catedral que haviam tentado interromper a ação das militantes com multas que vão de 300 a 1000 euros (...) por violência contra as militantes”!!!

Não, você não leu errado. É isso mesmo! As ativistas invadiram a Notre Dame, profanaram a igreja símbolo do país, ameaçaram destruir patrimônio religioso, cultural e histórico, desrespeitaram violentamente os presentes, atentaram contra o pudor, e saíram impunes. Mas os vigias que tentaram contê-las (como se vê claramente nas fotos divulgadas à época, com muita suavidade) foram condenados, pelo tribunal de justiça daquele país, a pagar multas por não deixarem que as militantes “expressassem o seu pensamento”!!!

Perdoe-me o leitor, não sou do tipo que usa vários pontos de exclamação ao redigir, mas não posso evitá-lo, e terei que continuar, porque o absurdo não para por aí: a "justiça" francesa “considerou que não havia provas suficientes de que as ativistas houvessem danificado o sino” da igreja, e por isso foram integralmente absolvidas!!!

Vivemos tempos em que não há nenhum problema em se invadir e profanar uma Catedral, despir-se em público, gritar pesados palavrões contra os católicos e contra o Papa, vilipendiar o sentimento religioso… Contanto que os sinos da igreja não sejam destroçados! Está liberado entrar em templos religiosos e criar tumulto, afrontar pessoas, ridicularizar os sacerdotes, desacatar a autoridade do Papa, promover todo o vandalismo… Desde que não se danifique nenhum objeto do local!!!

Não há como não lembrar o que disse Nosso Senhor aos fariseus:

“Ai de vós, guias cegos! Vós dizeis: 'Se alguém jura pelo Templo, isto não é nada; mas se jura pelo tesouro do Templo, é obrigado pelo seu juramento'.” (Mt 23,16)

Do mesmo modo decretam agora os fariseus do século XXI. E os jornalistas que tratam da absolvição das jovens do Fementambém parecem obcecados, apenas e tão somente, com os sinos. Diz a reportagem da BBC: “No julgamento, as militantes doFemen contestaram ter danificado o sino, alegando que haviam coberto os bastões de madeira com feltro...”!

Mas qual teria sido o contra-argumento do advogado dos representantes da Notre Dame, sobre o caso? Este, por sua vez, disse que essa proteção de feltro se descolou e que "as ativistas tocaram o sino com um bastão sem proteção”!

Sim! Todo o problema e todo debate gira em torno de saber se os sinos foram ou não danificados durante a invasão! Ninguém está preocupado com a profanação do templo, com a injúria ao sentimento religioso e ao próprio Deus! – A "justiça", então, "considerou que não havia provas suficientes de que as ativistas haviam danificado o sino”. Ora, quem é que pode se preocupar com um sino, ainda que de ouro, quando o santuário mais importante da França está sendo profanado?

“Insensatos e cegos! Que é mais importante, o ouro ou o Santuário que santifica o ouro?” (Mt 23, 17).

Em uma cultura materialista, pessoas não são capazes de enxergar nada além do que captam os sentidos físicos. Veem o ouro, mas já não conseguem contemplar a beleza do santuário. O edifício da igreja já não é nada mais que cimento e tijolos. Non est Deus: "Não há Deus, diz o tolo em seu coração" (Sl 53,1); não há mais nada sagrado e transcendente pelo que viver.

Os bárbaros dos nossos tempos já não são capazes de se elevar… Esqueceram-se completamente de que seus antepassados faziam o Sinal da Cruz ao passar em frente a uma capela; que trabalhavam duro para conseguir o pão de cada dia para seus filhos; que iam à Missa todos os domingos, pois tinham consciência de que se o SENHOR não cuidasse de suas casas e de suas cidades, em vão trabalhariam os construtores e vigiariam as sentinelas (cf. Sl 126,1). Então, para não mais lembrar que a Europa foi um dia cristã, eles, com impiedade animalesca, precisam pôr abaixo tudo o que lhes lembra este passado glorioso, quando os homens, justamente por adorarem a Deus, eram homens de verdade, de corpo e de alma.

Inna Schevchenko, uma das fundadoras do Femen, comemorou a sentença da Corte francesa. “É um bom exemplo para os outros países. Isso nos encoraja a continuarmos com nossa ação. Temos orgulho de saber que a blasfêmia é um direito e que não seremos condenadas por isso”, declarou.

Gemer e chorar neste vale de lágrimas, esperando que, depois deste desterro, Notre Dame (Nossa Senhora) nos mostre o Bendito Fruto de seu ventre. E pedir clemência, misericórdia, piedade. Mesmo sabendo que não merecemos.


Membro do mesmo grupo Femen, acompanhada de outros ativistas, derruba com motosserra um belíssimo crucifixo histórico no centro de Kiev, Ucrânia. Não. Ninguém fez absolutamente nada, nem para detê-los e nem para puni-los.


O tempora, o mores
! Para esta triste época, em que a blasfêmia é transformada em “direito civil”, nada mais resta senão suplicar ao Cristo Rei que suscite nos corações dos cristãos o amor a Deus e a bravura para lutar pela justiça, com coragem e determinação, até as últimas consequências, se preciso for. Que Nosso Senhor nos dê o empenho para, mais uma vez, salvar o Ocidente da barbárie.


• Com a equipe Christo Nihil Praeponere e BBC Brasil 
ofielcatolico.blogspot.com

Postagens mais visitadas deste blog

Costumes Matrimoniais nos Tempos Bíblicos: Casamento, Levirato, Violações do Casamento, Pessoa solteira e Divórcio"

Nos tempos bíblicos, o primeiro passo no casamento era dado pelo homem ou por sua família (Gênesis 4:19; 6:2; 12:19; 24:67; Êxodo 2:1). Geralmente, as famílias do casal faziam o arranjo do casamento. Assim Hagar, como chefe da família "o casou [Ismael] com uma mulher da terra do Egito" (Gênesis 21:21). Estando Isaque com quarenta anos de idade, era perfeitamente capaz de escolher sua própria esposa (Gênesis 25:20); no entanto, Abraão mandou seu servo a Harã a fim de buscar uma esposa para Isaque (Gênesis 24). Abraão deu ao servo duas ordens estritas: A noiva não podia ser cananeia, e devia deixar o lar paterno para viver com Isaque na Terra Prometida. Em circunstância alguma devia Isaque voltar a Harã para viver de acordo com o antigo modo de vida da família. O servo de Abraão encontrou a orientação do Senhor em sua escolha (Gênesis 24:12-32). Então, segundo o costume da Mesopotâmia, ele fez os arranjos com o irmão e a mãe da moça (Gênesis 24:28-29, 33). Ele selou o acordo …

Reflexão sobre o Evangelho segundo S. Lucas, cap. 14, vs. 25 a 33

Leitura do Evangelho do 23º Domingo do Tempo Comum



No capítulo 14 do Evangelho segundo S. Lucas, vemos Jesus que quer preparar a todos os seus seguidores para o seu Sacrifício na Cruz, bem como para as consequências que implicam da decisão de segui-lo. O Senhor, com imensa decisão, resolve partir para Jerusalém, mesmo sabendo que caminha para a sua própria morte.
No versículo 25, Jesus vê que não está sozinho: grandes multidões o acompanhavam. O texto original em grego enfatiza que aquelas pessoas “caminhavam junto” com Ele. Aquelas pessoas vão com o Senhor, e Ele quer alertá-las, torná-las conscientes de para onde estão indo e em que implicará a decisão de acompanhá-lo. Parando no meio da jornada, Ele se volta para essas pessoas e lhes diz algo como: “Vocês querem ir comigo, mas vocês sabem qual é a realidade de ser meu discípulo?”.
Aquilo que devemos dar a Deus Pai, conforme descreve o capítulo 6 do Livro do Deuteronômio, ficamos sabendo que devemos dar também a Deus Filho: “Amarás o…

Moringa, uma planta com imensos benefícios

Se ainda não ouviu falar da moringa, vai, neste artigo ficar a conhecer uma planta com bastantes benefícios para a saúde e o bem-estar do corpo. Moringa (Moringa oleifera) é uma planta de origem tropical ainda pouca conhecida na Europa, embora o seu uso como suplemento dietético comece pouco a pouco a estender-se. Um número cada vez maior de estudos científicos associam a ingestão de moringa em pó com inúmeros benefícios para a saúde, como a melhoria da pressão arterial, da glicose, a redução do colesterol, entre os outros. A árvore da Moringa Oleifera atinge uma altura de 7-12 metros é, originária das zonas próximo do Himalaia (Índia e Paquistão), e muito popular em países tropicais e subtropicais da África, Ásia (Filipinas, Camboja), América do Sul e Central e no Havaí, onde também é cultivada. Moringa – um potencial suplemento dietético A árvore de Moringa vem sendo usada ao longo dos tempos como uma planta medicinal. Sendo por isso conhecida como árvore milagrosa. Todas as partes …