Pular para o conteúdo principal

Ano Litúrgico 2017








Ano Litúrgico
- O ano litúrgico é o conjunto das celebrações com que a Igreja celebra anualmente o mistério de Cristo.
- O ano litúrgico, também chamado de ‘Ano da Igreja’, difere do ano civil, ou seja, não obedece aquela ordem cronológica de doze meses, e trezentos e sessenta e cinco dias.
- Dentro do ano litúrgico, a Igreja, sabiamente distribui o tempo em diversos períodos, enfatizando assim, alguns aspectos peculiares do Mistério Salvífico.
- Os tempos referentes ao Ano litúrgico são:
Advento, Natal, Comum, Quaresma e Páscoa.


Tempo do Advento
- Tempo de preparação para as solenidades do Natal, onde se celebra a primeira vinda do Filho de Deus no meio dos homens; e se recorda a esperança da Segunda vinda de Cristo.
- O advento, muito mais que um tempo de penitência, é um tempo de esperança e preparação.


Tempo do Natal
- Neste período, a Igreja celebra a festa do nascimento do Senhor e de suas primeiras manifestações ao mundo.
- O tempo do Natal se estende desde o dia vinte e quatro de dezembro, e vai até o dia seis de janeiro, inclusive.
- O Natal é a Segunda festa mais importante da Igreja, por isso, todo este período é expresso com alegria e festa.


Tempo Comum
- Durante trinta e três ou trinta e quatro semanas do ano, a Igreja deixa de celebrar aspectos importantes da vida de Cristo, celebrando todos os domingos a entrega de Jesus a nós, a Eucaristia.
- O Tempo Comum inicia no dia de semana que segue a festa do Batismo do Senhor e prolonga-se até a terça-feira antes da quaresma, inclusive; e recomeça depois da segunda-feira depois do Domingo de Pentecostes e volta a terminar um dia antes do 1º Domingo do Advento.


Tempo da Quaresma
- Inicia-se na quarta-feira de Cinzas e termina na quarta-feira da semana santa.
- Visa preparar a celebração da Páscoa.
- É um tempo de recolhimento espiritual de jejum, oração e penitência, é um período onde o fiel é chamado a rever sua vida de cristão para o grande acontecimento cristão:
A Ressurreição de Jesus Cristo.


Tempo da Páscoa
- É neste tempo que a Igreja celebra a sua maior festa: a Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo.
- Neste período, a Igreja se reveste de plena alegria pela Ressurreição de Cristo, que para nós se tornou primícia de Salvação.
- A festa da ressurreição é preparada através do Tríduo Pascal, que reúne como se fosse em uma única celebração, toda a Paixão, Morte e Ressurreição do Salvador.
- No Tríduo, nós temos a sexta-feira da Paixão, o Sábado Santo ou da Vigília Pascal e o Domingo da Ressurreição.


Revivendo com Cristo
- Viver o ‘Ano Litúrgico’ é viver o mistério de Cristo.
- No Advento, unir-se àqueles que por ele clamaram (profetas), que o anunciaram como iminente (João Batista) ou àquela que gestou (Maria Santíssima).
- No Natal, juntamo-nos aos anjos e aos pastores, aos magos, a Maria e a José, na humilde gruta de Belém. Aos nossos olhos maravilhados, brilha a luz da Epífania do Verbo feito carne.
- Na Semana Santa, caminhamos pelas ruas e pelas esquinas, encontrando-nos com Herodes e Pilatos, Pedro e Judas, João e Madalena. Vigiamos à espera do Ressuscitado até, enfim, clamar o triplo ‘aleluia’ e renovar as promessas de nosso Batismo na água e no Sangue do Crucificado.
- No Pentecostes, permanecemos, então, no Cenáculo com Maria, até que o Espírito Santo se derrame como vento e fogo.
- Jesus nasce e cresce. Jesus que morre e ressuscita. O Dom do Espírito e o chamado à missão.
- E, enquanto isso, trabalhamos e amamos, rimos e choramos, nascemos e morremos. Até que o Senhor venha...
“Que o sedento venha, e quem o deseja receba gratuitamente da água da vida.

Maranatha - Vem, Senhor Jesus.” Apocalipse 22, 17-20

Postagens mais visitadas deste blog

Costumes Matrimoniais nos Tempos Bíblicos: Casamento, Levirato, Violações do Casamento, Pessoa solteira e Divórcio"

Nos tempos bíblicos, o primeiro passo no casamento era dado pelo homem ou por sua família (Gênesis 4:19; 6:2; 12:19; 24:67; Êxodo 2:1). Geralmente, as famílias do casal faziam o arranjo do casamento. Assim Hagar, como chefe da família "o casou [Ismael] com uma mulher da terra do Egito" (Gênesis 21:21). Estando Isaque com quarenta anos de idade, era perfeitamente capaz de escolher sua própria esposa (Gênesis 25:20); no entanto, Abraão mandou seu servo a Harã a fim de buscar uma esposa para Isaque (Gênesis 24). Abraão deu ao servo duas ordens estritas: A noiva não podia ser cananeia, e devia deixar o lar paterno para viver com Isaque na Terra Prometida. Em circunstância alguma devia Isaque voltar a Harã para viver de acordo com o antigo modo de vida da família. O servo de Abraão encontrou a orientação do Senhor em sua escolha (Gênesis 24:12-32). Então, segundo o costume da Mesopotâmia, ele fez os arranjos com o irmão e a mãe da moça (Gênesis 24:28-29, 33). Ele selou o acordo …

Reflexão sobre o Evangelho segundo S. Lucas, cap. 14, vs. 25 a 33

Leitura do Evangelho do 23º Domingo do Tempo Comum



No capítulo 14 do Evangelho segundo S. Lucas, vemos Jesus que quer preparar a todos os seus seguidores para o seu Sacrifício na Cruz, bem como para as consequências que implicam da decisão de segui-lo. O Senhor, com imensa decisão, resolve partir para Jerusalém, mesmo sabendo que caminha para a sua própria morte.
No versículo 25, Jesus vê que não está sozinho: grandes multidões o acompanhavam. O texto original em grego enfatiza que aquelas pessoas “caminhavam junto” com Ele. Aquelas pessoas vão com o Senhor, e Ele quer alertá-las, torná-las conscientes de para onde estão indo e em que implicará a decisão de acompanhá-lo. Parando no meio da jornada, Ele se volta para essas pessoas e lhes diz algo como: “Vocês querem ir comigo, mas vocês sabem qual é a realidade de ser meu discípulo?”.
Aquilo que devemos dar a Deus Pai, conforme descreve o capítulo 6 do Livro do Deuteronômio, ficamos sabendo que devemos dar também a Deus Filho: “Amarás o…

Moringa, uma planta com imensos benefícios

Se ainda não ouviu falar da moringa, vai, neste artigo ficar a conhecer uma planta com bastantes benefícios para a saúde e o bem-estar do corpo. Moringa (Moringa oleifera) é uma planta de origem tropical ainda pouca conhecida na Europa, embora o seu uso como suplemento dietético comece pouco a pouco a estender-se. Um número cada vez maior de estudos científicos associam a ingestão de moringa em pó com inúmeros benefícios para a saúde, como a melhoria da pressão arterial, da glicose, a redução do colesterol, entre os outros. A árvore da Moringa Oleifera atinge uma altura de 7-12 metros é, originária das zonas próximo do Himalaia (Índia e Paquistão), e muito popular em países tropicais e subtropicais da África, Ásia (Filipinas, Camboja), América do Sul e Central e no Havaí, onde também é cultivada. Moringa – um potencial suplemento dietético A árvore de Moringa vem sendo usada ao longo dos tempos como uma planta medicinal. Sendo por isso conhecida como árvore milagrosa. Todas as partes …