Pular para o conteúdo principal

O Santo Rosário



Por Claudiney Barbieri e Robson Velasco Garcia

O MÊS DE NOSSA Senhora Aparecida (outubro) também é o mês do Santo Rosário. A palavra rosário tem origem no termo latino rosarium, que significa ramo ou coroa de rosas. Não seria a rosa, rainha das flores, a representação mais próxima da mãe rainha de Nosso Senhor, dispensadora de todas as graças?

Na Idade Média, a Virgem Maria era assim saudada, como fez o Arcanjo Gabriel em sua saudação que faz referência à Gratia Plena de Maria, com o título de rosa (Rosa Mystica), símbolo de alegria. Adornavam-se as suas imagens, ainda como hoje, com uma coroa ou ramo de rosas (rosarium), como expressão dos louvores que brotavam dos corações dos devotos cheios de amor.


Origem do Rosário

A recomendação da Igreja para que se rezasse o Rosário é antiquíssima. Rezar o Rosário, no entanto, consistia em recitar os 150 salmos de David (ou do Ofício Divino). Considerava-se essa oração extremamente agradável a Deus. Mas nem todos podiam fazê-la, somente os poucos que sabiam ler. Então, a Igreja permitiu substituir os 150 salmos por 150 Ave-Marias, oração que era conhecida como “Saltério da Virgem”.

S, Domingos de Gusmão recebe o Rosário das mãos da Virgem

No ano de 1214, a Santa Madre Igreja recebeu o Rosário, na sua forma presente, por meio de São Domingos de Gusmão. Enquanto se penitenciava pedindo a conversão dos albigenses e outros pecadores, o então padre Domingos foi agraciado pela aparição da Bem-aventurada Virgem, que recomendou a oração de seu Saltério (hoje, Rosário) como meio de conversão e de combate à heresia.

A história da aparição da Virgem Maria a São Domingos encontra-se no livro De Dignitate Psalterii, do Bem-aventurado Alano de La Roche ('A importância e Beleza do Santo Rosário'), O.P., padre dominicano francês e Apóstolo do Santo Rosário. Eis o trecho sobre a aparição:

Vendo São Domingos que a gravidade dos pecados dos homens estava obstruindo a conversão dos albigenses, adentrou-se numa floresta perto de Tolosa, onde orou incessantemente por três dias e três noites. Durante este tempo, ele não fez nada a não ser chorar e fazer duras penitências a fim de apaziguar a ira do Poderoso Deus. Ele se utilizou de disciplina tão drástica que seu corpo estava dilacerado e finalmente caiu em coma. Nesta hora, Nossa Senhora apareceu-lhe, acompanhada de três Anjos, e lhe disse:
'Querido Domingos, você sabe de que arma a Santíssima Trindade quer usar para mudar o mundo?'
São Domingos respondeu: 'Oh, minha Senhora, vós sabeis bem melhor do que eu, pois, depois de vosso Filho Jesus Cristo, vós tendes sido sempre o principal instrumento de nossa salvação'.
Nossa Senhora respondeu-lhe:
'Quero que saibas que, a principal peça de combate tem sido sempre o Saltério Angélico, pedra fundamental do Novo Testamento. Assim, quero que alcances estas almas endurecidas e as conquistes para Deus, com a oração do meu Saltério'.

Após a aparição de Nossa Senhora, São Domingos dirigiu-se à Catedral de Toulouse para pregar. Foi, porém, interrompido por uma tempestade terrível. Nesse momento, todos os presentes viram uma imagem de Nossa Senhora levantar os braços em direção aos Céus, três vezes, para acalmar a vingança de Deus sobre eles, caso falhassem em se converter, endireitar suas vidas e procurar a proteção da Santa Mãe de Deus. São Domingos iniciou a oração do Rosário e foi seguido por todos os presentes. À medida que rezavam, a tempestade diminuía, até que cessou por completo.

Deus quis, por meio destes fenômenos sobrenaturais, espalhar a nova devoção do Santo Rosário e fazer com que fosse mais vastamente divulgado. Em pouco tempo, uma grande transformação foi percebida na vila; as pessoas começaram a converter-se e a viver uma vida cristã.


Instituição da festa de Nossa Senhora do Rosário

Essa celebração foi primeiramente instituída em comemoração à vitória dos católicos sobre os turcos na batalha de Lepanto, ocorrida no dia 7 de Outubro de 1571. A liga de Estados católicos, que combatia o império otomano, recebeu poderosa intercessão da Virgem nessa batalha. O exército católico utilizou o ícone da Virgem como palium (manto) protetor e conquistou uma vitória impossível diante do Islão que, com frota em maioria, já alcançava a Europa para fazer sucumbir a fé verdadeira. Os turcos, no entanto, caíram pela Auxiliadora dos Cristãos (Auxilium Christianorum) como bem disse o Papa S. Pio V.

Naquele dia, em Roma, o Papa São Pio V pedia o auxílio divino pela vitória, por intercessão da Santa Mãe da Igreja. Inspirado, pediu ao povo que rezasse o Rosário. Com a vitória, uma solene procissão aconteceu nas ruas de Roma e, pouco tempo depois, estava instituída a Festa de Nossa Senhora das Vitórias. Um ano mais tarde, Gregório XIII então mudou o nome para festa de Nossa Senhora do Rosário.

Sabendo-se das atribuições à Nossa Senhora, de suas alegrias, dores e glórias, o Rosário foi acrescido de ladainhas sobre os títulos.

Tal o poder dessa majestosa Senhora do Rosário, que intercedeu por quatro padres jesuítas os quais sobreviveram à explosão da bomba atômica em Hiroshima, durante a II Guerra Mundial (1945). Estes padres missionários não sofreram sequer um arranhão, nem qualquer efeito de radiação, e atribuíram sua integridade à Nossa Senhora do Rosário. Afirmam que não tinham dúvidas da proteção da Ssma. Virgem: “Nós acreditamos que sobrevivemos porque estávamos vivendo a mensagem de Fátima. Nós vivíamos e rezávamos o Rosário diariamente naquela casa”.


A cidade de Hiroshima devastada. No epicentro da explosão da bomba atômica estava a Catedral. Vê-se à direita os 4 padres jesuítas sobreviventes pela misericórdia da Rainha do Rosário
O que é o Rosário?

O Rosário constitui-se de duas realidades: a oração mental e a oração vocal. A oração mental nada mais é do que a meditação sobre os principais Mistérios da vida, morte e glória de Jesus Cristo, e alguns dos de sua santíssima mãe. Já a oração vocal consiste na recitação de quinze dezenas de Aves-Maria, cada dezena precedida por um Pai-Nosso. Dessa forma, enquanto se recita as orações Pai-Nosso e Ave-Maria, deve-se meditar e contemplar as quinze virtudes principais que Jesus e Maria praticaram, nos quinze Mistérios do Santo Rosário.

Nas cinco primeiras dezenas, devemos honrar Jesus e Maria pelos Mistérios Gozosos e meditá-los; nas segundas cinco dezenas, meditam-se os Mistérios Dolorosos; finalmente, no terceiro grupo de cinco, os Mistérios Gloriosos. Assim, o Rosário torna-se uma mistura bendita de oração mental e vocal pela qual honramos e aprendemos a imitar os mistérios e as virtudes de Jesus e Maria.


Benefícios que alcançamos ao rezar o Rosário e meditar os Mistérios

São Luís Maria Grignion de Monfort aponta os benefícios e razões para que nos animemos a abraçar a devoção ao Santo Rosário:

• Eleva-nos gradualmente no conhecimento cada vez mais perfeito de Jesus Cristo;
• Purifica nossas almas, lavando-as do pecado;
• Dá-nos vitória sobre nossos inimigos;
• Facilita-nos a prática das virtudes;
• Queima-nos com o Fogo do amor por Nosso Senhor;
• Enriquece-nos de graças e méritos;
• Supre-nos com o que é preciso para pagar nossas dívidas para com Deus e para co nosso próximo;
• Obtém todas as espécies de graças de Deus para nós.

A meditação do Rosário também é mencionada no Catecismo da Igreja Católica:

A meditação põe em ação o pensamento, a imaginação, a emoção e o desejo. Esta mobilização é necessária para aprofundar as convicções da fé, suscitar a conversão do coração e fortalecer a vontade de seguir a Cristo. A oração cristã dedica-se, de preferência, a meditar nos «mistérios de Cristo», como na «lectio divina» ou no rosário. Esta forma de reflexão orante é de grande valor, mas a oração cristã deve ir mais longe: até ao conhecimento amoroso do Senhor Jesus, até à união com Ele."(Catecismo da Igreja Católica. Quarta Parte. Primeira Seção. Cap III. Artigo II. Item 2708)

Abençoado Rosário, que nos dá a ciência e o conhecimento de Nosso Senhor. Muito mais felizes são os fiéis católicos que cuidadosamente meditam na Vida, nas Virtudes, Sofrimento e Glória de Nosso Salvador, pois por este meio eles poderão ganhar o perfeito conhecimento daquele que É a vida eterna. “Ora a vida eterna é esta” (Jo 17,3).


A validade do Rosário e sua prática

Poderíamos então nos questionar: A oração e meditação do Rosário estão presentes nos dias atuais? Essa devoção continua válida?

Com certeza, para as duas perguntas, a resposta é sim.

É uma prática comum, comprovadamente presente em muitas ordens religiosas, frequentemente difundida por muitos Papas e sacerdotes, diariamente realizada por muitas famílias católicas, ou seja, o Rosário é uma devoção de pelo menos 8 séculos! E há diversos motivos que a justificam:

- O recente Diretório sobre piedade popular e liturgia do Vaticano (2002) destacou a importância do Rosário como uma das mais excelentes orações à Mãe do Senhor (n.197). Naquele mesmo ano, o Papa João Paulo II criava os Mistérios da Luz, que percorrem etapas da vida pública de Jesus (cf. Carta Apostólica 'O Rosário da Virgem Maria', n.21).

- O Concílio Vaticano II (1962-65) recomendou os exercícios de piedade para com Maria (Lumen Gentium, n.67), frase que, em 1966, o Papa Paulo VI interpretou com relação ao Rosário. Um dos frutos do Concílio foi a redação do Catecismo da Igreja Católica (1992/7), que reconhece como legítima expressão do culto mariano a oração do “santo Rosário” (n. 971; cf. 2678; 2708). Outro fruto é o novo Manual de Indulgências (1999), em que a Igreja concede graças especiais a quem rezar o terço, na qual se inclua uma prece na intenção do Papa (Concessões, n.17).

- Desde 1261 (Papa Urbano IV), os papas têm recomendado, em tom oficial ou pessoal, a oração do Terço do Rosário. O Papa Leão XIII, considerado o Papa do Rosário, nos legou pelo menos 45 documentos sobre o tema. O Papa Bento XVI recomendou que os mistérios do Rosário sejam acompanhados por breves trechos da Bíblia (Exort. apost. Verbum Domini, 2010, n.88).

- Na vida dos santos e santas é muito presente a oração do Terço mariano. S. Luís M. G. de Montfort praticava e promovia essa devoção, afirmando: O Rosário é uma grande coroa de Rosas. S. Maximiliano Kolbe dizia: "Quantas coroas, tantas almas salvas. Aprendemos com eles que rezar o Terço é um dom do Espírito Santo, como escreve Jean Lafrance ('O Terço do Rosário').

- Rezar o terço é uma ótima escola de oração, sobretudo em grupo, pois através dela nos exercitamos na oração vocal e mental, bíblica e devocional. Quantos benefícios (paz, proteção, perseverança etc) homens e mulheres, de todas as raças e condições, têm colhido nestes 8 séculos.

S. Josemaria Escrivá nos lembra do pedido de Nossa Senhora de Fátima para que usemos dessa arma poderosa para sermos protegidos do mal (pecado), para alcançarmos o Céu (salvação) e para alcançarmos grandes graças (benesses da 'onipotência suplicante') nesta vida e na outra, pois ela é o pescoço por onde passam todas as graças e benesses de Nosso Senhor em seu corpo místico, sua Santa Igreja.

O Rosário é o meio que nos dá a Virgem para contemplar a Jesus e, meditando sua vida, amá-lo e segui-lo sempre fielmente."
(Papa Bento XVI)

__________
Fontes e referência bibliográfica:
• BADDE, P. A Face de Nossa Senhora no Manto de Guadalupe. Rio de Janeiro: Ed. Capax Dei, 2013.
• CARVAJAL, F. F. Falar com Deus - Meditações para cada dia do ano, Vol. 7. São Paulo: Quadrante, 2005.
• CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA. 3ª. ed. Petrópolis: Vozes; São Paulo: Loyola, 1993.
• JUANA, Álvaro de. O Milagre de Hiroshima: Jesuítas sobreviveram à bomba atômica graças ao Rosário. Disp. em: 
acidigital.com/noticias/o-milagre-de-hiroshima-jesuitas-sobreviveram-a-bomba-atomica-gracas-ao-rosario-18962
Acesso em 23/10/2015.
• MONTFORT, São Luís Maria Grignion de. O Segredo do Rosário. Disp. em: 
http://osegredodorosario.blogspot.com.br
Acesso em: 23/10/ 2015.
• SILVA, Pe. Jonas Eduardo G. C. Outubro, Mês do Rosário. Disp. em:
http://www.a12.com/santuario-nacional/formacao/detalhes/outubro-mes-do-rosario

Postagens mais visitadas deste blog

SANGUE INUNDARÁ O BRASIL" - PROFECIA DE NOSSA SENHORA SOBRE O BRASIL EM 1936

"O
Os 3 grandes castigos! Fez-se inexplicável silêncio sobre as aparições de Nossa Senhora no agreste pernambucano em 1936 e caíram no esquecimento. Mas a Ssma. Virgem anunciara que viriam tempos calamitosos e três grandes castigos para o Brasil. No primeiro artigo, reproduzido abaixo, seu autor comenta essas previsões sobre o prisma da crise da Igreja e a ameaça comunista ao Brasil. O segundo texto, do grande lutador Pe. Júlio Maria, apresenta uma pormenorizada narração dessas aparições de 1936 em que Nossa Senhora anunciou que o sangue inundará o Brasil.
A VIRGEM SANTÍSSIMA AFIRMA QUE O BRASIL PASSARÁ POR UMA SANGRENTA REVOLUÇÃO PROMOVIDA PELO COMUNISMO! FRANCISCO ALMEIDA ARAÚJO *
Todos quantos me conhecem através de meus escritos, palestras, cursos e programas de Rádio e Televisão promovidos em todas as regiões do nosso querido Brasil, sabem da minha relutância em divulgar revelações particulares ainda não reconhecidas pelo Magistério da Igreja. No entanto, de todas as “revelações pa…

Reflexão sobre o Evangelho segundo S. Lucas, cap. 14, vs. 25 a 33

Leitura do Evangelho do 23º Domingo do Tempo Comum



No capítulo 14 do Evangelho segundo S. Lucas, vemos Jesus que quer preparar a todos os seus seguidores para o seu Sacrifício na Cruz, bem como para as consequências que implicam da decisão de segui-lo. O Senhor, com imensa decisão, resolve partir para Jerusalém, mesmo sabendo que caminha para a sua própria morte.
No versículo 25, Jesus vê que não está sozinho: grandes multidões o acompanhavam. O texto original em grego enfatiza que aquelas pessoas “caminhavam junto” com Ele. Aquelas pessoas vão com o Senhor, e Ele quer alertá-las, torná-las conscientes de para onde estão indo e em que implicará a decisão de acompanhá-lo. Parando no meio da jornada, Ele se volta para essas pessoas e lhes diz algo como: “Vocês querem ir comigo, mas vocês sabem qual é a realidade de ser meu discípulo?”.
Aquilo que devemos dar a Deus Pai, conforme descreve o capítulo 6 do Livro do Deuteronômio, ficamos sabendo que devemos dar também a Deus Filho: “Amarás o…

Moringa, uma planta com imensos benefícios

Se ainda não ouviu falar da moringa, vai, neste artigo ficar a conhecer uma planta com bastantes benefícios para a saúde e o bem-estar do corpo. Moringa (Moringa oleifera) é uma planta de origem tropical ainda pouca conhecida na Europa, embora o seu uso como suplemento dietético comece pouco a pouco a estender-se. Um número cada vez maior de estudos científicos associam a ingestão de moringa em pó com inúmeros benefícios para a saúde, como a melhoria da pressão arterial, da glicose, a redução do colesterol, entre os outros. A árvore da Moringa Oleifera atinge uma altura de 7-12 metros é, originária das zonas próximo do Himalaia (Índia e Paquistão), e muito popular em países tropicais e subtropicais da África, Ásia (Filipinas, Camboja), América do Sul e Central e no Havaí, onde também é cultivada. Moringa – um potencial suplemento dietético A árvore de Moringa vem sendo usada ao longo dos tempos como uma planta medicinal. Sendo por isso conhecida como árvore milagrosa. Todas as partes …