Pular para o conteúdo principal

O mandato de Cristo e a mistagogia Cristã






Texto de: Anadir D’Agostin



O mandato de Cristo é um mandato para se praticar a evangelização de forma mistagógica.

“Ide e ensinai tudo o que vos ensinei”.


Segundo nosso Deus e Senhor, Jesus Cristo, mistagogia cristã é ensinar a viver e a encarnar na própria vida tudo o aquilo que ele mesmo ensinou aos primeiros discípulos cristãos e também aos doze apóstolos.

Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração.



A iniciação cristã para o discípulo cristão batizado ainda "bebê" ou até aos "seis anos” é iniciação mistagógica trezentos e sessenta e cinco dias por ano e carece soar em harmonia com a psicologia humana, naquela faixa etária. Ela é praticada pelos pais e irmãos no santuário de vida que é a família.



Cristo deixa clara a metodologia, a didática e prática de ensino. Assim:

“Ide e ensinai tudo o que vos ensinei”.

"Eu estarei convosco sempre, até o fim dos séculos".

"Quando dois ou mais estiverem reunidos em meu nome eu estarei no meio deles".

"Deixai virem a mim as crianças".

'Vos reconhecerão que sois meus discípulos se vos amardes uns aos outros como eu vos amei".


A nossa evangelização iniciática – é iniciática porque ela inicia o jovem batizado nos mistérios de Cristo – não pode ser “um espantalho” de neófitos na caminhada logo no limiar do seu aprendizado e vivencial.



Vamos entender –

Uma máquina nova – no caso todo batizado – como um computador de última geração, já traz programado pelos dons recebidos no "batismo", os caminhos e atalhos para se conectar em banda larga com Deus. Um é o caminho mais rápido e seguro, também é o único caminho que é seguro, e que contém toda a verdade: este caminho é Jesus Cristo.



A evangelização do neófito – na iniciação cristã deve indicar os atalhos da vivência cristã. Certifique-se de que o neófito cristão entendeu os passos do caminho e deixe fluir. Então:

· Ele saberá direcionar-se, pelo resto da existência, para contemplar e adentrar nas estradas da vida.

· Saberá distinguir uma relação de emprego de uma relação de morte.

· Saberá distinguir um mar de águas salgadas de um mar morto.

· Saberá distinguir águas turvas de águas cristalinas.

· Um céu azul de um céu escuro.

· Uma tempestade de uma chuva copiosa.

· Um sol causticante e desértico, de um sol imprescindível à vida.

· Um vento tempestuoso de um sopro suave e aprazível.

· Uma arvore frondosa e estéril de um arbusto com saborosos frutos.

· Os lírios do campo de uma belíssima orquídea artificial.

· Em suma a Lei de Deus da Lei dos "contrários".



Então o neófito cristão:

Criança ou adulto, "este novo membro do “corpo de Cristo", pela graça e pelo poder da consagração batismal se conecta em banda larga com Deus por verdadeiros caminhos.



A iniciação cristã deve possibilitar ao filho de Deus o segredo de fazer escolhas. A melhor escolha. Está na hora de deixarmos de ajuntar o leite derramado como regra catequizadora. Juntar o leite derramado deve ser a exceção à regra.



Há dois mil anos que estamos juntando o leite. É hora de bem acondicionarmos não só o leite, mas também o mel para que não se percam no chão. Acondicionar o leite e o mel reclama:

"Ide ensinai tudo o que vos ensinei".



O ser humano tem sede da verdade: Anunciai a verdade, pois, ela contém toda a verdade do caminho.
“Ide e ensinai tudo o que vos ensinei”.
"Eu sou o Caminho"

Não é um mandamento para: “ignorantes mestres de leigos” ou de “ignorantes para leigos”: mas sim um mandamento global e dirigido a todos os “discípulos cristãos” independentemente de sua especial vocação, mas que tem a missão e a abrangência de evangelizar:

· quer pela autoridade e magistério de que são investidos pela ordem presbiteral,

· quer pela missão do sacramento do matrimônio recebido,

· quer pelos chamados especiais abraçados numa valorização maior da própria vida pelo celibato (anacoretas, eremitas,conventuais, monásticos, viúvos e viúvas... entre outros);

· quer pela evangelização e missão;

· quer pelo exemplo e ação vivencial.



Evangelizar é sangue de Cristo que corre nas veias de todo discípulo cristão e católico.

Sem mim nada podeis.

Postagens mais visitadas deste blog

Reflexão sobre o Evangelho segundo S. Lucas, cap. 14, vs. 25 a 33

Leitura do Evangelho do 23º Domingo do Tempo Comum



No capítulo 14 do Evangelho segundo S. Lucas, vemos Jesus que quer preparar a todos os seus seguidores para o seu Sacrifício na Cruz, bem como para as consequências que implicam da decisão de segui-lo. O Senhor, com imensa decisão, resolve partir para Jerusalém, mesmo sabendo que caminha para a sua própria morte.
No versículo 25, Jesus vê que não está sozinho: grandes multidões o acompanhavam. O texto original em grego enfatiza que aquelas pessoas “caminhavam junto” com Ele. Aquelas pessoas vão com o Senhor, e Ele quer alertá-las, torná-las conscientes de para onde estão indo e em que implicará a decisão de acompanhá-lo. Parando no meio da jornada, Ele se volta para essas pessoas e lhes diz algo como: “Vocês querem ir comigo, mas vocês sabem qual é a realidade de ser meu discípulo?”.
Aquilo que devemos dar a Deus Pai, conforme descreve o capítulo 6 do Livro do Deuteronômio, ficamos sabendo que devemos dar também a Deus Filho: “Amarás o…

Costumes Matrimoniais nos Tempos Bíblicos: Casamento, Levirato, Violações do Casamento, Pessoa solteira e Divórcio"

Nos tempos bíblicos, o primeiro passo no casamento era dado pelo homem ou por sua família (Gênesis 4:19; 6:2; 12:19; 24:67; Êxodo 2:1). Geralmente, as famílias do casal faziam o arranjo do casamento. Assim Hagar, como chefe da família "o casou [Ismael] com uma mulher da terra do Egito" (Gênesis 21:21). Estando Isaque com quarenta anos de idade, era perfeitamente capaz de escolher sua própria esposa (Gênesis 25:20); no entanto, Abraão mandou seu servo a Harã a fim de buscar uma esposa para Isaque (Gênesis 24). Abraão deu ao servo duas ordens estritas: A noiva não podia ser cananeia, e devia deixar o lar paterno para viver com Isaque na Terra Prometida. Em circunstância alguma devia Isaque voltar a Harã para viver de acordo com o antigo modo de vida da família. O servo de Abraão encontrou a orientação do Senhor em sua escolha (Gênesis 24:12-32). Então, segundo o costume da Mesopotâmia, ele fez os arranjos com o irmão e a mãe da moça (Gênesis 24:28-29, 33). Ele selou o acordo …

Moringa, uma planta com imensos benefícios

Se ainda não ouviu falar da moringa, vai, neste artigo ficar a conhecer uma planta com bastantes benefícios para a saúde e o bem-estar do corpo. Moringa (Moringa oleifera) é uma planta de origem tropical ainda pouca conhecida na Europa, embora o seu uso como suplemento dietético comece pouco a pouco a estender-se. Um número cada vez maior de estudos científicos associam a ingestão de moringa em pó com inúmeros benefícios para a saúde, como a melhoria da pressão arterial, da glicose, a redução do colesterol, entre os outros. A árvore da Moringa Oleifera atinge uma altura de 7-12 metros é, originária das zonas próximo do Himalaia (Índia e Paquistão), e muito popular em países tropicais e subtropicais da África, Ásia (Filipinas, Camboja), América do Sul e Central e no Havaí, onde também é cultivada. Moringa – um potencial suplemento dietético A árvore de Moringa vem sendo usada ao longo dos tempos como uma planta medicinal. Sendo por isso conhecida como árvore milagrosa. Todas as partes …