Pular para o conteúdo principal

Se tiver fé no Coração de Jesus, levante-se e ande! – O milagre de Santa Júlia Billiart



UMA VOZ SE FAZ ouvir: “Se tiver fé, em nome do Coração de Jesus, levante-se e dê um passo”. É seu diretor espiritual, Pe. Enfantin, que tinha convidado Júlia a uma Novena em honra do Sagrado Coração de Nosso Senhor. Ela, obediente e cheia de fé, dá um passo. E escuta o sacerdote: “Dê mais um passo”. Ela o dá. E, pela terceira vez: “Dê mais um passo”. Ela, cheia de assombro, vê que os passos vão se sucedendo, depois de terem ficado paralisados por mais de 22 anos!

É o quinto dia da Novena, em preparação à Festa do Sagrado Coração de Jesus. Júlia acabava de ser curada da paralisia, mas recebeu a ordem de não revelar, ainda, a cura. Assim, a beneficiada permaneceu como se fosse ainda paralítica até o último dia da Novena.

Era de manhã cedo e a comunidade reunida no refeitório ouviu passos. Madre Júlia entrando, caminhando com pé firme. “Milagre!”, gritaram as aluninhas! Voltam todas com as irmãs à Capela e, em coro, a uma só voz, cantam: “Te Deum Laudamus” – “A Vós, Senhor Deus, Louvamos”!

Este fato aconteceu na vida de Santa Júlia Billiart (ou 'Biliarte', na forma mais aportuguesada), fundadora da Congregação das Irmãs de Notre Dame. Nascida em Cuvilly, França, em 12 de julho de 1751, a 60 quilômetros de Paris, Rose Marie Julie Billiart distinguiu-se desde pequenina entre seus colegas de infância pela notável capacidade de alegre comunicação e transmissão da fé. Liderava seus colegas de escola e, nas horas de recreio, sentados à sombra de uma árvore, Júlia se tornava a contadora de histórias bíblicas, que memorizava com muita facilidade. Era chamada até de “minicatequista”.

A imposição do regime de terror da Grande Revolução Francesa (1789-1799) trouxe a descrença e a perseguição do clero fiel ao Papa, atingindo também os leigos defensores da fé católica. Júlia achava esconderijos para os padres fiéis e, ela mesma, denunciada como a “Bruxa de Cuvilly”, foi perseguida igualmente. Uma ocasião, bala traiçoeira, dirigida ao seu pai, atingiu-lhe, paralisando o seu sistema nervoso. Intervenções da precária medicina da época provocaram, aos poucos, a imobilidade dos membros, até chegar a paralisia total. O mal, entretanto, jamais conseguiu impedir suas andanças, ainda que em cadeira de rodas, para visitar doentes, distribuir esmolas, ouvir os desanimados e catequizar jovens e crianças.

Seguiram-se anos em que o mal se agravou e ela teve de sujeitar-se a ficar de cama. O seu quarto, então, transformou-se em sala de peregrinação, para onde afluíam continuamente pessoas de toda idade e categoria social, incluindo até mulheres da nobreza, que queriam ouvi-la falar do “Deus Bom” que tanto amava.

Eram palavras de sabedoria, de fé, que confortavam a todos os que a procuravam. O recolhimento no quarto favoreceu a que Júlia tivesse espaço para longas horas de contemplação dos Mistérios de Cristo. Acredita-se que ganhou, dessa experiência, a mística da “contemplação-ação”, que imprimiu ao Instituto Notre Dame, que viria a fundar em benefício da educação cristã.

Se sua vida católica, na infância e juventude, já tinha sido exemplo de compromisso com o bem dos demais, quanto mais sua vida adulta, marcada pela profunda experiência com o Deus Bom, foi movida por extraordinário ardor apostólico. O grupo de “padres da fé”, em suas missões populares, fazia questão de que Júlia, em sua cadeira de rodas, o acompanhasse para atender às crianças e idosos na catequese. Reconhecido esse seu excepcional dom de transmissão da fé, Padre J. Varin, coordenador do grupo de missionários, orientou-a a perenizar seu dom e carisma pessoal, fundado a Congregação das Irmãs de Notre Dame (Soeurs de Notre Dame). Isso aconteceu em 2 de fevereiro de 1804, em Amiens, no norte da França.

O dia em que a Igreja celebra Santa Júlia Billiart é hoje, 4 de abril. Santa Júlia Billiart, rogai a Deus por nós!

_________
Adaptado de artigo de Ir. Maria Fátima Maldaner, SND

Postagens mais visitadas deste blog

SANGUE INUNDARÁ O BRASIL" - PROFECIA DE NOSSA SENHORA SOBRE O BRASIL EM 1936

"O
Os 3 grandes castigos! Fez-se inexplicável silêncio sobre as aparições de Nossa Senhora no agreste pernambucano em 1936 e caíram no esquecimento. Mas a Ssma. Virgem anunciara que viriam tempos calamitosos e três grandes castigos para o Brasil. No primeiro artigo, reproduzido abaixo, seu autor comenta essas previsões sobre o prisma da crise da Igreja e a ameaça comunista ao Brasil. O segundo texto, do grande lutador Pe. Júlio Maria, apresenta uma pormenorizada narração dessas aparições de 1936 em que Nossa Senhora anunciou que o sangue inundará o Brasil.
A VIRGEM SANTÍSSIMA AFIRMA QUE O BRASIL PASSARÁ POR UMA SANGRENTA REVOLUÇÃO PROMOVIDA PELO COMUNISMO! FRANCISCO ALMEIDA ARAÚJO *
Todos quantos me conhecem através de meus escritos, palestras, cursos e programas de Rádio e Televisão promovidos em todas as regiões do nosso querido Brasil, sabem da minha relutância em divulgar revelações particulares ainda não reconhecidas pelo Magistério da Igreja. No entanto, de todas as “revelações pa…

Reflexão sobre o Evangelho segundo S. Lucas, cap. 14, vs. 25 a 33

Leitura do Evangelho do 23º Domingo do Tempo Comum



No capítulo 14 do Evangelho segundo S. Lucas, vemos Jesus que quer preparar a todos os seus seguidores para o seu Sacrifício na Cruz, bem como para as consequências que implicam da decisão de segui-lo. O Senhor, com imensa decisão, resolve partir para Jerusalém, mesmo sabendo que caminha para a sua própria morte.
No versículo 25, Jesus vê que não está sozinho: grandes multidões o acompanhavam. O texto original em grego enfatiza que aquelas pessoas “caminhavam junto” com Ele. Aquelas pessoas vão com o Senhor, e Ele quer alertá-las, torná-las conscientes de para onde estão indo e em que implicará a decisão de acompanhá-lo. Parando no meio da jornada, Ele se volta para essas pessoas e lhes diz algo como: “Vocês querem ir comigo, mas vocês sabem qual é a realidade de ser meu discípulo?”.
Aquilo que devemos dar a Deus Pai, conforme descreve o capítulo 6 do Livro do Deuteronômio, ficamos sabendo que devemos dar também a Deus Filho: “Amarás o…

Moringa, uma planta com imensos benefícios

Se ainda não ouviu falar da moringa, vai, neste artigo ficar a conhecer uma planta com bastantes benefícios para a saúde e o bem-estar do corpo. Moringa (Moringa oleifera) é uma planta de origem tropical ainda pouca conhecida na Europa, embora o seu uso como suplemento dietético comece pouco a pouco a estender-se. Um número cada vez maior de estudos científicos associam a ingestão de moringa em pó com inúmeros benefícios para a saúde, como a melhoria da pressão arterial, da glicose, a redução do colesterol, entre os outros. A árvore da Moringa Oleifera atinge uma altura de 7-12 metros é, originária das zonas próximo do Himalaia (Índia e Paquistão), e muito popular em países tropicais e subtropicais da África, Ásia (Filipinas, Camboja), América do Sul e Central e no Havaí, onde também é cultivada. Moringa – um potencial suplemento dietético A árvore de Moringa vem sendo usada ao longo dos tempos como uma planta medicinal. Sendo por isso conhecida como árvore milagrosa. Todas as partes …