Pular para o conteúdo principal

Moringa, uma planta com imensos benefícios


Se ainda não ouviu falar da moringa, vai, neste artigo ficar a conhecer uma planta com bastantes benefícios para a saúde e o bem-estar do corpo.
Moringa (Moringa oleifera) é uma planta de origem tropical ainda pouca conhecida na Europa, embora o seu uso como suplemento dietético comece pouco a pouco a estender-se. Um número cada vez maior de estudos científicos associam a ingestão de moringa em pó com inúmeros benefícios para a saúde, como a melhoria da pressão arterial, da glicose, a redução do colesterol, entre os outros.
A árvore da Moringa Oleifera atinge uma altura de 7-12 metros é, originária das zonas próximo do Himalaia (Índia e Paquistão), e muito popular em países tropicais e subtropicais da África, Ásia (Filipinas, Camboja), América do Sul e Central e no Havaí, onde também é cultivada.

Moringa – um potencial suplemento dietético

A árvore de Moringa vem sendo usada ao longo dos tempos como uma planta medicinal. Sendo por isso conhecida como árvore milagrosa. Todas as partes da planta são aproveitadas: folhas, raízes, sementes, cascas, frutas, flores e vagens. Todas contém propriedades medicinais.

Benefícios nutricionais da Moringa Oleifera

As folhas são extremamente ricos em proteínas, em vitaminas A, B e C e minerais como cálcio, magnésio, potássio, sódio, fósforo, ferro. Para se ter uma ideia melhor, comparando as suas propriedades nutritivas com as de outros alimentos:
  • A mesma quantidade de proteínas que o ovo e o dobro que o leite
  • 4 vezes mais cálcio que o leite,
  • 3 vezes mais potássio que a banana,
  • 4 vezes mais vitamina A que as cenouras,
  • 7 vezes mais vitamina C que a laranja.

Propriedades medicinais da Moringa oleifera



Os benefícios desta árvore vão muito mais além do seu mero uso como alimento, como mais a frente veremos. Apresenta também uma grande quantidade de propriedades curativas:
  • Baixa os níveis de glicose
  • Reduz o colesterol
  • Reduz a pressão arterial elevada
  • Melhora as articulações devido ao seu efeito anti-inflamatório
  • Combate a asma
  • Combate a anemia pelo seu alto teor em ferro
  • Fortalece o sistema imunológico, o que faz aumentar as defesas naturais do corpo
  • Fortalece os músculos e ossos
  • Melhora certas funções mentais, como memória e capacidade de aprendizagem
  • Estimula o crescimento do cabelo
  • Protege o fígado e os rins
  • Proporciona energia
  • Embeleza e regenera a pele

Como consumir a moringa?

Todas as partes da planta são comestíveis: as vagens verdes, as folhas, as flores, as sementes (pretas, arredondadas) e as raízes são muito nutritivos e podem ser utilizados para o consumo devido ao seu elevado teor de proteínas, vitaminas e minerais. Nos países de origem a Moringa Oleifera é consumida como uma verdura qualquer. Além das suas propriedades benéficas, tem também um sabor agradável.

Todas as partes da planta

As diversas partes da planta podem ser consumidas: as folhas verdespodem ser usadas em saladas ou cozidas de várias maneiras para preparar sopas, têm um sabor levemente picante, entre o agrião e o rabanete. As vagens verdes são consumidos cozidas e tem um sabor muito parecido ao feijão verde; as vagens são cozidas em água com um pouco de sal, e depois de abertas retira-se as sementes e come-se, o sabor é parecido ao grão de bico, podendo também ser consumidas torradas; as raízes tem a forma de uma cenoura pequena e o sabor é picante; as flores também são comestíveis e utilizados em saladas.
Das sementes é obtido um tipo de óleo de muito boa qualidade, que não se torna rançoso, ao contrário dos outros, e é rico em ómega 6, 3 e 9, como o azeite. Este óleo é muito apreciado pela industria cosmética que o incorpora em muitos produtos de beleza. A partir das folhas secas é obtido um pó que pode ser usado diariamente na cozinha quando adicionado a pães, bolos, purés… para obter um maior valor nutricional. O pó de Moringa também é muito útil no cuidado dos animais de estimação ou para as pessoas que sofrem de deficiências vitamínicas e minerais.
A raiz e a casca da Moringa concentram muito mais nutrientes do que em outras partes da planta. Os nativos usam-na como um medicamento para prolemas do coração e circulação. No Senegal e na Índia, as raízes são trituradas e misturadas com sal.  A papa resultante é utilizada para o tratamento do reumatismo e dor nas articulações devido ao efeito anti-inflamatório. Além de ser um bom tónico para os nervos, as raízes e a casca estimulam o apetite e digestão. O sumo obtido das raízes pode ser útil para a dor de garganta.
No mercado, existem cápsulas que contêm o pó das folhas, o extrato, que é feito a partir da casca e raízes e mel feito da flores e pó.

Um pouco de história

Os antigos escritores sânscritos reconheciam-na como uma planta medicinal. Antigos escritos hindus que datam do ano 150 AC, fazem referencias à planta Moringa e seus usos. Os primeiros romanos, gregos e egípcios apreciavam a Moringa pelas suas propriedades terapêuticas e também usavam-na para proteger a pele, fazer perfume e para purificar a água para beber. A própria Bíblia, no livro do Êxodo 15:22-27 faz uma referência a esta planta como purificadora da água do Mar Vermelho.
Quer seja como alimento ou remédio caseiro a Moringa vem sendo utilizada há milhares de anos de geração em geração. A Moringa é certamente uma das mais recentes descobertas da ciência moderna.

Postagens mais visitadas deste blog

Reflexão sobre o Evangelho segundo S. Lucas, cap. 14, vs. 25 a 33

Leitura do Evangelho do 23º Domingo do Tempo Comum



No capítulo 14 do Evangelho segundo S. Lucas, vemos Jesus que quer preparar a todos os seus seguidores para o seu Sacrifício na Cruz, bem como para as consequências que implicam da decisão de segui-lo. O Senhor, com imensa decisão, resolve partir para Jerusalém, mesmo sabendo que caminha para a sua própria morte.
No versículo 25, Jesus vê que não está sozinho: grandes multidões o acompanhavam. O texto original em grego enfatiza que aquelas pessoas “caminhavam junto” com Ele. Aquelas pessoas vão com o Senhor, e Ele quer alertá-las, torná-las conscientes de para onde estão indo e em que implicará a decisão de acompanhá-lo. Parando no meio da jornada, Ele se volta para essas pessoas e lhes diz algo como: “Vocês querem ir comigo, mas vocês sabem qual é a realidade de ser meu discípulo?”.
Aquilo que devemos dar a Deus Pai, conforme descreve o capítulo 6 do Livro do Deuteronômio, ficamos sabendo que devemos dar também a Deus Filho: “Amarás o…

Costumes Matrimoniais nos Tempos Bíblicos: Casamento, Levirato, Violações do Casamento, Pessoa solteira e Divórcio"

Nos tempos bíblicos, o primeiro passo no casamento era dado pelo homem ou por sua família (Gênesis 4:19; 6:2; 12:19; 24:67; Êxodo 2:1). Geralmente, as famílias do casal faziam o arranjo do casamento. Assim Hagar, como chefe da família "o casou [Ismael] com uma mulher da terra do Egito" (Gênesis 21:21). Estando Isaque com quarenta anos de idade, era perfeitamente capaz de escolher sua própria esposa (Gênesis 25:20); no entanto, Abraão mandou seu servo a Harã a fim de buscar uma esposa para Isaque (Gênesis 24). Abraão deu ao servo duas ordens estritas: A noiva não podia ser cananeia, e devia deixar o lar paterno para viver com Isaque na Terra Prometida. Em circunstância alguma devia Isaque voltar a Harã para viver de acordo com o antigo modo de vida da família. O servo de Abraão encontrou a orientação do Senhor em sua escolha (Gênesis 24:12-32). Então, segundo o costume da Mesopotâmia, ele fez os arranjos com o irmão e a mãe da moça (Gênesis 24:28-29, 33). Ele selou o acordo …